Esta app permite gerir obrigações fiscais de várias empresas. É gratuita

  • ECO
  • 1 Junho 2020

Pagamento de impostos, alertas fiscais e simulador de salários são algumas das funcionalidades da app, desenvolvida pela Moneris.

É gratuita e foi criada para facilitar a vida a empresários e gestores no seu planeamento e gestão fiscais diários. É esse o objetivo da nova app da Moneris, consultora portuguesa de serviços de contabilidade e apoio à gestão, que acaba de ser lançada nas lojas de aplicações móveis Google Play e App Store para clientes da empresa.

A nova aplicação, que a Moneris diz ser “única no contexto da consultoria em Portugal”, permite aos utilizadores gerir o pagamento dos impostos e obrigações contributivas de uma ou várias empresas, de forma desmaterializada e em tempo real. Inicialmente, a aplicação permite o controlo de “impostos relativos à Segurança Social, IRS e IVA. Gradualmente, serão adicionados novos impostos”, refere em comunicado.

Além destas funcionalidades, a app dá ainda acesso a alertas fiscais, com as datas limite de pagamento dos principais impostos, um calendário fiscal atualizado, um simulador de salários, notícias de gestão atualizadas diariamente, com uma área especial dedicada ao Covid-19, e ainda um canal direto com a equipa Moneris (que inclui gestores de cliente, contabilistas certificados e consultores de recursos humanos).

“Este lançamento é mais um passo num processo de digitalização da Moneris, que espera continuar a ser uma empresa de referência e líder na inovação tecnológica do setor”, refere a consultora em comunicado.

A app Moneris está disponível para os sistemas Android e iOS, é gratuita, com todas as funcionalidades disponíveis para clientes Moneris.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Esta app permite gerir obrigações fiscais de várias empresas. É gratuita

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião