Vodafone Espanha aposta em energia 100% renovável através de acordo com Iberdrola

  • Servimedia
  • 17 Junho 2020

O acordo da operadora com a Iberdrola permite cumprir 75% do seu objetivo de fornecer eletricidade adquirida a partir de fontes renováveis já em 2021.

A Vodafone Espanha está a fazer progressos no consumo de energia em Espanha a partir de fontes 100% renováveis, através de um acordo com a Iberdrola para a compra e venda de energia a partir de fontes de produção limpa a longo prazo (em inglês, PPA – Power Purchase Agreement), que irá fornecer energia verde aos 13.500 pontos de abastecimento da sua própria rede no país.

O acordo permitirá à Vodafone avançar no cumprimento do quadro estratégico de empresa sustentável e responsável com o planeta, que estabelece que em 2025 toda a energia elétrica adquirida será 100% renovável e que as suas emissões de gases com efeito de estufa serão reduzidas para 50%.

Especificamente, esta ação permitirá à operadora de telecomunicações cumprir 75% do seu objetivo de fornecer eletricidade adquirida a partir de fontes renováveis em 2021, tal como foi avançado pelas empresas na quarta-feira.

O contrato terá início em janeiro de 2021 e até 140 gigawatts-hora (GWh) dos 540 gigawatts de consumo serão feitos através de um PPA, associado a um ativo renovável recentemente construído, com o projeto eólico Puylobo, que a Iberdrola está atualmente a construir em Aragão.

Os estantes 400 GWh serão fornecidos ao abrigo de outro acordo, que garantirá o consumo verde através da entrega de GdOs a partir de outros ativos renováveis da empresa de serviços públicos.

O novo projeto eólico a lançar para o primeiro abastecimento será localizado no município de Borja, em Saragoça. O projeto Puylobo terá uma capacidade instalada de 49 megawatts e a sua construção, que envolverá um investimento de 50 milhões de euros, contará com a participação de mais de 120 profissionais.

Quando arrancar e estiver plenamente operacional, espera-se que gere uma produção capaz de evitar a emissão de 32.000 toneladas de CO2/ano, de acordo com fontes das empresas.

A Puylobo insere-se na estratégia de investimento da Iberdrola em projetos de geração de energia renovável em Espanha, bem como no seu compromisso com os contratos bilaterais, como forma de promover o fornecimento de energia a preços competitivos e estáveis entre os grandes clientes comprometidos com o consumo sustentável.

Como explicou Ismael Asenjo, diretor-geral de Tecnologia da Vodafone Espanha, o operador está empenhado em atingir 100% da energia elétrica adquirida a partir de fontes renováveis até 2025 “e as emissões de CO2 serão reduzidas em 50% em comparação com 2016-17”.

“A energia utilizada para o funcionamento da rede representa mais de 97% do nosso consumo total, pelo que é fundamental implementar medidas de eficiência energética e estabelecer acordos de compra de energia de fontes renováveis, como o que assinámos hoje com a Iberdrola”, afirmou Asenjo.

Por seu lado, Eduardo Insuza, diretor de Grandes Clientes da Iberdrola, afirmou que os PPA abrem “muitas oportunidades” para o desenvolvimento de projetos renováveis que “estão a transformar o presente e o futuro da energia no nosso país”. “Estes contratos de compra e venda de energia a longo prazo trazem estabilidade aos investimentos e tornaram-se um instrumento ótimo para gerir o fornecimento de eletricidade a grandes consumidores, empenhados num consumo limpo e sustentável. Demonstram também a competitividade das energias renováveis e a sua capacidade de fornecer energia a preços acessíveis e estáveis”, afirmou.

Para a operadora de telecomunicações, o respeito pelo ambiente significa desenvolver as suas atividades de forma responsável, minimizando a pegada ambiental das operações e ajudando os seus clientes e a sociedade a serem mais eficientes. Prova do empenho nesta matéria é a adesão do Grupo Vodafone à declaração “Recoverbetter”, do Pacto Global das Nações Unidas, que incita os governos a considerarem objetivos de base científica ao estabelecerem o roteiro para alcançar as emissões zero até 2050.

No último ano fiscal, a Vodafone Espanha, através dos seus programas energéticos, a promoção do teletrabalho e da economia circular, bem como o desenvolvimento de produtos e serviços para os seus clientes, conseguiu evitar direta e indiretamente a emissão de 656.924 toneladas de CO2 em Espanha.

A Iberdrola é também uma referência mundial no domínio dos PPA e gere contratos de aquisição de energia a longo prazo em mercados como Espanha, Reino Unido, Estados Unidos e México, a partir de projetos eólicos e fotovoltaicos de mais de 2.500 MW. Em Espanha, a empresa tem promovido esta modalidade com um caráter pioneiro junto de empresas de diferentes setores: banca, telecomunicações, setor da cerveja, distribuição e marcas desportivas.

A empresa está convencida de que a eletrificação funcionará como uma alavanca para a recuperação económica e o emprego no mundo pós-Covid-19 e, por isso, planeia realizar investimentos no valor de 10 mil milhões de euros em diferentes projetos em todo o mundo ainda em 2020.

A empresa de eletricidade é líder em energias renováveis nem Espanha, com uma capacidade eólica instalada superior a 6.000 MW e mais de 16.500 MW de energias renováveis; um volume que ascende a mais de 32.000 MW no mundo, tornando o seu parque gerador um dos mais limpos do setor energético.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vodafone Espanha aposta em energia 100% renovável através de acordo com Iberdrola

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião