Extensão de cortes de produção na mira. Petróleo acelera 3%

Cotação do "ouro negro" ganha tração acima dos 40 dólares por barril, com o mercado a apostar numa extensão dos cortes de produção para além de julho e com a recuperação da procura.

O petróleo está em alta nos mercados internacionais, com o preço do barril a registar ganhos em torno de 3% nos dois lados do Atlântico. O crude volta superar a fasquia dos 40 dólares, enquanto o brent londrino se aproxima dos 43 dólares, com o mercado expectante face a um eventual aprofundar dos cortes de produção pela OPEP+ para além do final de julho.

O preço do barril de brent negociado no mercado londrino valoriza 2,72%, para os 42,64 dólares, enquanto o crude soma 3,22%, para os 40,09 dólares, em Nova Iorque.

A cotação do “ouro negro” regista assim máximos desde o passado dia 8 de junho, com o mercado a reagir ao resultado da reunião da OPEP+, que agrega os países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) com os produtores aliados, que decorreu nesta quinta-feira.

Petróleo acelera 3%

Neste encontro, os países produtores comprometeram-se a corresponder aos cortes de oferta acordados, o que está a ser interpretado como um sinal de que o travão à produção poderá ser estendido para além do final de julho.

De salientar que a OPEP+, que controla cerca de 60% da produção mundial de petróleo, acordou em abril a aplicação de um corte de 9,7 milhões de barris por dia em maio e junho, cerca de 10% da produção mundial. A 6 de junho, decidiu prorrogar este corte recorde até 31 de julho e analisar mensalmente o cumprimento do acordo e a situação do mercado.

A recuperação da procura pela matéria-prima é outro dos fatores a que os especialistas atribuem a recuperação das cotações que se verifica nesta sexta-feira. Apesar de se manterem bastante abaixo do normal, os dados de vários países europeus apontam para uma recuperação gradual da procura de combustíveis.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Extensão de cortes de produção na mira. Petróleo acelera 3%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião