Lucro da Siemens cai 41% no três primeiros trimestres do ano fiscal para 2.272 ME

  • Lusa
  • 6 Agosto 2020

A Siemens registou nos primeiros três trimestres do exercício de 2019/2020 um lucro de 2.272 milhões de euros, menos 41% que em idêntico período do ano fiscal anterior.

A faturação do grupo tecnológico e industrial alemão caiu 1%, no período em análise, para 41.828 milhões de euros e os pedidos de encomendas diminuíram 9%, para 44.418 milhões de euros, segundo um comunicado hoje divulgado pela Siemens.

Ao apresentar os resultados, o presidente e presidente executivo da Siemens, Joe Kaeser, disse que, “apesar da crise global, que continua muito severa”, o grupo empresarial, “prossegue o percurso com sucesso”, tendo tido “um resultado operacional forte no terceiro trimestre”.

Kaeser vai ser substituído nas funções por Roland Busch a partir da assembleia geral de 2021, sendo que o novo líder do grupo irá assumir a responsabilidade pelos resultados do próximo exercício financeiro a partir de outubro deste ano.

A Siemens prevê que as consequências económicas da pandemia de Covid-19 vão continuar a ter um impacto forte no resultado do grupo empresarial no quarto trimestre do ano fiscal, mas diz que não pode calcular a evolução macroeconómica e sua influência na empresa com fiabilidade.

A multinacional mantém os seus planos de tirar a divisão de energia da bolsa de valores antes do final de outubro deste ano, garante que possui liquidez suficiente para enfrentar a crise provocada pela Covid-19 e prevê que as receitas caiam moderadamente até ao final de 2020.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lucro da Siemens cai 41% no três primeiros trimestres do ano fiscal para 2.272 ME

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião