Google Trends. Portugueses pesquisaram o “pior debate de sempre”

  • Tiago Lopes
  • 4 Outubro 2020

Cá dentro, o debate entre Trump e Biden foi o mais pesquisado. Lá fora, a pandemia continua a fazer aumentar o desemprego. Nos negócios, o Facebook voltou a bloquear anúncios de Trump.

O primeiro de três debates das eleições presidenciais nos Estados Unidos era aguardado com grande expectativa. Os 90 minutos do primeiro frente a frente entre Donald Trump e Joe Biden foram classificados por quase todos os analistas como o “pior debate de sempre”.

O acidente ocorrido no metro da Praça de Espanha foi outro dos temas mais pesquisados pelos portugueses. Do acidente resultaram quatro feridos ligeiros. A Câmara Municipal de Lisboa abriu um inquérito para apurar responsabilidades.

Cá dentro

O primeiro de três debates das eleições presidenciais nos Estados Unidos entre Donald Trumo e Joe Biden ficou marcado por insultos, polémica e troca de acusações. Como era espectável, a curiosidade foi muita e Portugal não foi exceção. Com vários momentos quentes ao longo de 90 minutos de debate, o momento em que Biden mandou calar Donald Trump rapidamente ficou viral.

O desabamento do teto do metro da Praça de Espanha, em Lisboa, na última terça-feira, foi uma das notícias que mais se destacaram nas pesquisas do Google na semana passada. A composição circulava com cerca de 300 pessoas, mas do acidente apenas resultaram quatro feridos ligeiros.

No seguimento do acidente, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, explicou que este se deveu às obras que decorrem à superfície, garantindo não haver problemas com a estrutura onde circula o metro e adiantou que foi aberto um inquérito.

Joaquín Salvador Lavado, criador da personagem Mafalda, morreu aos 88 anos na Argentina. Conhecido com Quino, o cartoonista argentino criou a personagem Mafalda tendo sido publicada pela primeira vez a 29 de setembro de 1964 no semanário argentino Primera Plana.

Genebra aprovou o primeiro salário mínimo da sua história. O valor mensal de 4.086 francos, cerca de 3.783 euros, fez com que os portugueses quisessem saber mais sobre o assunto. No Google as pesquisas sobre o tema levaram-no para o top 5 dos assuntos mais procurados durante a semana. As redes sociais não foram exceção e foram muitos os internautas que partilharam esta notícia.

A luta do Rio Ave frente aos italianos do AC Milan para conquistar um lugar na fase de grupos da Liga Europa encerra o top dos temas mais pesquisados durante a semana a nível nacional. A formação portuguesa de Vila do Conde esteve quase a ganhar ao gigante italiano, mas o sonho terminou na decisão através de grandes penalidades. Ainda no mesmo dia, o descalabro do Sporting frente aos austríacos do LASK Linz, ao perder em casa por 4-1, também não passou despercebido nas pesquisas do motor de busca norte-americano.

Lá fora

  • American Airlines despede 19 mil funcionários. A pandemia de Covid-19 não pára de fazer crescer o desemprego um pouco por todo o mundo e os Estados Unidos não são exceção. A companhia aérea American Airlines anunciou esta semana que vai despedir cerca de 19 mil funcionários da empresa. Em cima da mesa ainda estava uma extensão da ajuda ao setor aéreo, mas segundo Doug Parker, presidente executivo da companhia, a falta de entendimento entre democratas e republicanos inviabilizou qualquer negócio. Ainda assim, Parker mantém a esperança de um final feliz.
  • Espanha quer “fechar” Madrid. O governo espanhol está a estudar várias medidas para travar a rápida propagação do novo coronavírus no país. Uma das medidas discutidas é o fecho de grandes cidades com “situação extrema” de Covid-19, como é o caso de Madrid. Assim, nos próximos tempos, para entrar em cidades com mais de 100 mil habitantes poderá ser necessário apresentar uma justificação.

Nos negócios

  • Facebook voltou a remover anúncios de Trump. É já uma novela com muitos episódios que envolve o Facebook e os anúncios de Donald Trump. Desta vez, a rede social foi obrigada a remover mais anúncios do atual presidente dos Estados Unidos que afirmavam que os refugiados eram os grandes responsáveis pelo aumento de casos de Covid-19 nos EUA. Segundo a NBC News, um dos anúncios de Trump dizia que Joe Biden queria “aumentar o número de refugiados da Síria e da Somália em 700%”, o que levaria a um aumento do número de casos de Covid-19.
  • Google Pixel 5. A gigante tecnológica norte-americana dominou todas as atenções nesta área na semana passada ao apresentar diversos produtos novos, entre eles um novo Chromecast, um novo sistema operativo, Google TV, uma nova coluna, a Nest Audio, e dois novos smartphones. A atenção dos utilizadores estava essencialmente centrada na apresentação do Pixel 5, um smartphone com características topo de gama, mas a um preço acessível comparando com as restantes ofertas no mercado dentro do mesmo segmento.
  • Portugal desce no ranking da competitividade digital. Num universo de 67 países, Portugal passou do 34º para o 37º. lugar no ranking da competitividade digital do IMD World Competitiveness Center. Esta é a terceira vez consecutiva que Portugal desce neste ranking.

Nota: A Google Trends é uma rubrica semanal, publicada aos fins de semana, que resume os temas mais populares da internet com base na ferramenta homónima da Google. É assinada pelo jornalista do ECO Tiago Lopes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Google Trends. Portugueses pesquisaram o “pior debate de sempre”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião