Sonae Capital investe 75 milhões para comprar seis centrais de cogeração em Espanha

Negócio envolveu o pagamento de 62 milhões de euros já e o investimento do restante nos próximos cinco anos.

A Sonae Capital comprou seis centrais de cogeração em Espanha. O negócio envolve um enterprise value de 75 milhões de euros, dos quais 62 milhões de euros já foram pagos e o restante será investido nos próximos cinco anos, segundo comunicou esta quinta-feira ao mercado a empresa do universo detido pela família Azevedo.

“A Sonae Capital, SGPS, S.A. informa que celebrou nesta data, através da sua participada Capwatt Power España, um contrato nos termos do qual adquiriu à sociedade Ignis Capital, SL, um portefólio de seis centrais de cogeração localizadas em Espanha, nas regiões da Catalunha, Aragon e Castilla y Leon”, anunciou.

As centrais de cogeração em questão atuam no tratamento de resíduos provenientes de suiniculturas, desempenhando uma “importante função ambiental”. Todas as cogerações trabalham em exclusivo com gás natural, sendo a energia térmica produzida consumida, na totalidade, no tratamento dos resíduos. Em complemento às receitas provenientes da energia elétrica produzida, estas centrais têm ainda proveitos associados à desidratação dos resíduos e à sua incorporação em fertilizantes.

Os ativos adquiridos possuem uma capacidade global instalada de 88 MW, correspondente a aproximadamente 24% da capacidade de cogeração instalada em Espanha no setor do tratamento de resíduos provenientes de suiniculturas.

Esta aquisição enquadra-se na estratégia de crescimento da Capwatt como promotor de soluções integradas de Energia, permitindo à empresa mais do que duplicar a atual potência instalada (que passará de 77 MW, para 165 MW), ao mesmo tempo que permitirá à CapWatt reforçar a sua presença no mercado Espanhol”, diz a Sonae Capital, acrescentando que “a aquisição foi financiada com um mix adequado de capitais próprios e capitais alheios”.

(Notícia atualizada às 21h40)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sonae Capital investe 75 milhões para comprar seis centrais de cogeração em Espanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião