Maior fabricante mundial de aço vai cortar 11 mil empregos

  • ECO
  • 19 Novembro 2020

A Thyssenkrupp Group, maior fabricante de aço do mundo, vai eliminar 11 mil postos de trabalho nos próximos anos, consequência do impacto da pandemia na indústria.

O Grupo Thyssenkrupp vai eliminar 11 mil postos de trabalho ao longo dos próximos anos, numa altura em que a indústria do aço está a ser fortemente penalizada pela pandemia, avança a Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

São cerca de 10% do número atual de trabalhadores que a empresa alemã vai despedir, depois de ter registado um prejuízo de 5,5 mil milhões de euros no ano encerrado em setembro e de ter previsto perdas de mais de mil milhões de euros para o período atual. O número de despedimentos é, assim, o dobro do que estava a ser planeado pela administração.

“Teremos de avançar ainda mais para a ‘zona vermelha’ antes de tornar a Thyssenkrupp adequada para o futuro”, diz a CEO, Martina Merz, citada pela Bloomberg. “As próximas etapas podem ser mais dolorosas do que as anteriores. Mas teremos de as ultrapassar”.

O grupo alemão manteve conversações com potenciais compradores e parceiros de fusão para a unidade de aço, com o objetivo de lidar com o excesso de produto. Está também em negociações com o Governo alemão sobre um pacote de ajuda que pode valer pelo menos cinco mil milhões de euros, de acordo com fontes citadas pela agência de notícias.

Desde o início do ano, as ações da Thyssenkrupp já caíram quase 60% na bolsa alemã.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Maior fabricante mundial de aço vai cortar 11 mil empregos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião