BRANDS' ECO Mercadona abre em Campanhã e cumpre meta de 20 supermercados em 2020

  • BRANDS' ECO
  • 16 Dezembro 2020

Este é já o segundo supermercado da cadeia espanhola no Porto. Tem 1900 m2, 100 lugares de estacionamento e gerou 60 novos postos de trabalho.

A Mercadona acaba de abrir o 20º supermercado em Portugal, em Campanhã – Porto. Com uma área de venda de 1.900 m2, a abertura desta unidade gerou 60 postos de trabalho, sendo que todos os colaboradores têm contratos sem termo desde o primeiro dia, como é política da cadeia de supermercados espanhola.

O novo supermercado conta com um parque de estacionamento de 100 lugares, tendo sido concebido segundo o Modelo de Loja Eficiente que a Mercadona está a implementar em toda a sua cadeia e que representa uma poupança energética superior a 40% face a uma loja tradicional. Inclui as secções Talho, Charcutaria, Peixaria, Pastelaria e Padaria, Perfumaria, Frutas e Legumes e Pronto a Comer.

Na construção desta loja foi recuperada a chaminé industrial que se encontrava em estado devoluto neste espaço, preservando assim um símbolo característico da antiga zona industrial.

A empresa, tal como tem vindo a fazer desde o início desta situação de pandemia, continuará a aplicar todas as medidas de segurança dentro das suas lojas com o objetivo de garantir a saúde e segurança dos seus colaboradores e clientes.

Atualmente, o horário de funcionamento do supermercado Mercadona de Campanhã é das 9:00h às 21:30h, de segunda a sexta-feira, e das 8:00h às 13:00h aos sábados e domingos, em cumprimento com o Decreto 11/2020. O horário está sujeito às restrições temporárias que eventualmente venham a ser decretadas pelas entidades competentes, e que serão informadas nos canais próprios da empresa.

Sandra Santos, Presidente da Assembleia de Freguesia de Campanhã, António Nunes, Vogal da Junta de Freguesia de Campanhã, Ernesto Santos, Presidente da Junta de Freguesia de Campanhã, e Ricardo Valente, Vereador da Câmara Municipal do Porto, junto de Joana Ribeiro, da Mercadona (da esquerda para a direita).

De acordo com Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, “este novo espaço fica assim ligado a projetos emblemáticos em curso nesta zona do Município, nomeadamente o Terminal Intermodal de Campanhã, que se encontra em fase final de construção, e o Projeto Matadouro, um investimento de 40 milhões de euros, com início dos trabalhos previsto para setembro de 2021, que constituirá um novo polo económico, empresarial e cultural vibrante na zona oriental da cidade”.

A abertura desta loja concluiu o objetivo traçado pela empresa de ter, no final de 2020, 20 lojas em funcionamento, distribuídas pelos distritos do Porto, Braga, Aveiro e Viana do Castelo. A empresa já iniciou os processos de seleção e recrutamento para cinco novos supermercados a abrir em 2021, localizados em Santa Maria da Feira, Guimarães, Porto, Vila Nova de Famalicão e Espinho.

No âmbito da sua Política de Responsabilidade Social, a Mercadona tem vindo a reforçar as doações realizadas a entidades sociais. Até ao momento, a empresa doou mais de 900 toneladas de produtos a cantinas sociais, bancos alimentares e outras instituições de solidariedade social em Portugal. Isto é possível através da colaboração das suas 20 lojas com 20 cantinas sociais de proximidade. No que diz respeito à loja de Campanhã, esta encaminhará as suas doações alimentares para a SAOM – Serviços de Assistência Organizações de Maria – destinadas à confeção de refeições para pessoas sem abrigo nos restaurantes solidários do Centro de Acolhimento Temporário Joaquim Urbano.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mercadona abre em Campanhã e cumpre meta de 20 supermercados em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião