Acionistas da EDPR reúnem-se a 22 de fevereiro para ratificar novos administradores

  • Lusa
  • 21 Janeiro 2021

A assembleia-geral, agendada para fevereiro, vai ratificar a entrada de três novos administradores na EDP Renováveis, incluindo Miguel Stilwell de Andrade.

Os acionistas da EDP Renováveis (EDPR) irão reunir-se, em assembleia-geral, no próximo dia 22 de fevereiro, para ratificar, por cooptação, a entrada de três novos administradores, incluindo Miguel Stilwell de Andrade.

Na convocatória e nas propostas, enviadas à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), lê-se que a AG deverá ratificar a nomeação de “Miguel Stilwell de Andrade como administrador executivo, […] que foi nomeado por cooptação nos termos da Lei e em virtude da deliberação tomada pelo Conselho de Administração na sua reunião de 19 de janeiro de 2021, sendo o seu mandato limitado ao do anterior membro”m Duarte Melo de Castro Belo, “a quem substitui”.

No dia 19, o Conselho da EDPR nomeou o presidente executivo da EDP, Miguel Stilwell de Andrade, para o mesmo cargo na empresa do grupo, extinguindo ainda a Comissão Executiva.

“O Conselho da EDPR nomeou Miguel Stilwell de Andrade como presidente do Conselho da EDPR e CEO [presidente executivo] da EDPR, e Rui Teixeira, atual Administrador Executivo da EDPR e Consejero Delegado, como CFO [administrador financeiro] da EDPR”, pode ler-se num comunicado enviado à CMVM.

A convocatória da AG propõe ainda a ratificação da nomeação de Ana Paula Marques como administradora “Dominical”, “sendo o seu mandato limitado ao do anterior vogal”, Spyridon Martinis, a quem substitui, e de Joan Avalyn Dempsey “como administradora independente, sendo o seu mandato limitado ao da anterior vogal”, Francisca Guedes de Oliveira, “a quem substitui”.

Os acionistas irão ainda deliberar sobre a cessação de António Mexia enquanto administrador “Dominical” e de João Manso Neto enquanto administrador executivo, com funções suspensas desde julho de 2020, na sequência do processo de investigação às rendas na eletricidade.

A AG tem ainda previsto votar a “fixação do número de membros do Conselho de Administração em doze”, a alteração dos “artigos 12.º (‘Convocatória’) e 16.º (‘Presidência da Assembleia’) dos estatutos” e a “delegação de poderes para a formalização e execução de todas as deliberações adotadas na Assembleia Geral Extraordinária de acionistas, para a sua elevação a um instrumento público e para a sua interpretação, correção e adição ou desenvolvimento de forma a obter os registos apropriados”, de acordo com a convocatória.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Acionistas da EDPR reúnem-se a 22 de fevereiro para ratificar novos administradores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião