Como as redes sociais estão a reagir à decisão do tribunal sobre Sócrates

  • Tiago Lopes
  • 9 Abril 2021

José Sócrates ficou hoje a saber que não vai ser julgado no que toca aos crimes por corrupção de que estava acusado. Ao longo da tarde foram muitas as reações nas redes sociais.

Dois anos e sete meses depois do início do debate instrutório da Operação Marquês, o juiz Ivo Rosa apresentou esta sexta-feira o veredicto final.

Entre os 28 arguidos, entre os quais 19 pessoas singulares e nove pessoas coletivas, o ex-primeiro-ministro José Sócrates era um dos principais visados, juntamente com Ricardo Salgado, Henrique Granadeiro, Armando Vara, Zeinal Bava e Carlos Santos Silva, num total de 188 crimes, 159 diziam respeito às 19 pessoas singulares acusadas e 29 às empresas.

À medida que Ivo Rosa ia anunciado as decisões sobres as diversas acusações as redes sociais agitavam-se.

Em tom irónico, Carlos Guimarães Pinto, economista e ex-presidente da Iniciativa Liberal, deixa a pergunta no ar no Twitter: “Vamos lá para a conclusão: quanto é que vamos ter que pagar de indemnização a José Sócrates e Ricardo Salgado?”.

Para o economista Ricardo Arroja, quem sai pior após as decisões anunciadas pelo juiz Ivo Rosa é “o Ministério Público e o juiz Carlos Alexandre”.

O ex-ministro adjunto do governo de Pedro Passos Coelho, Miguel Poiares Maduro, escreve que após duas horas “os únicos em risco de ir para a cadeia são o MP e o Juiz”.

O economista António Nogueira Leite levanta a questão: “Bem vistas as coisa é possível que Sócrates nunca tenha existido”.

O líder do Chega, André Ventura, diz estar “indignado. Tremendamente indignado. Violentamente indignado!”, numa clara alusão ao desfecho da tarde desta sexta-feira do veredicto final desta fase processual da Operação Marquês.

Ana Gomes também recorreu ao Twitter para deixar uma mensagem sobre este processo. “No fim disto tudo, juiz pronuncia JS e CSS por corrupção passiva sem acto concreto e branqueamento, mas não por crimes fiscais qualificados. E safa de tudo Salgado, Vara, Barroca, Granadeiro, Zeinal e tutti quanti. E quem arrasa totalmente é MP! Ai madre! Ai padre! Ai país!”.

A economista Susana Peralta pergunta se “agora que Portugal prescreveu, dá para trocar por outro?”.

O jornalista Pedro Santos Guerreiro escreve que “há suspeita de um crime. Mas dinheiro do crime não paga impostos. E o crime prescreveu. É o crime perfeito.”

Também os perfis no Twitter com um registo mais humorístico não perderam a oportunidade para comentar o assunto.

Correção: Uma versão inicial indicava uma conta falsa de Twitter como pertencendo a Tiago Mayan. As declarações eram atribuídas erradamente ao ex-candidato presidencial da Iniciativa Liberal. Aos leitores e visados, as nossas desculpas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Como as redes sociais estão a reagir à decisão do tribunal sobre Sócrates

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião