Superliga: Governo desfavorável a prova que defende “parte em vez do bem comum”

  • Lusa
  • 19 Abril 2021

"Este é um desporto com milhões e milhões de adeptos em todo o continente e com uma importante função social, que deve ser preservada”, defende Tiago Brandão Rodrigues.

O Governo português assumiu-se esta segunda-feira desfavorável à criação da Superliga europeia de futebol, corroborando as posições das autoridades nacionais e europeias, por defender uma pequena parte em vez do bem comum.

Em resposta à agência Lusa, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, disse que “partilha a visão das autoridades nacionais e europeias de futebol, não sendo favorável à criação de uma competição desportiva a nível europeu que não privilegia a inclusão, a solidariedade e o mérito desportivo, colocando os interesses de uma pequena parte à frente do bem comum”.

Este é um desporto com milhões e milhões de adeptos em todo o continente e com uma importante função social, que deve ser preservada”, rematou o governante, que tutela o desporto.

No sábado, 17 de abril, AC Milan, Arsenal, Atlético de Madrid, Chelsea, FC Barcelona, Inter Milão, Juventus, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Real Madrid e Tottenham anunciaram a criação da Superliga europeia, à revelia de UEFA, federações nacionais e vários outros clubes.

As equipas vão ser divididas em dois grupos de 10, com jogos em casa e fora, a meio da semana, avançando os três primeiros e o vencedor de um ‘play-off’ entre quarto e quinto classificados para os quartos de final, a duas mãos, seguindo-se a fase a eliminar até à final, a disputar em campo neutro.

A UEFA anunciou que vai excluir todos os clubes que integrem a Superliga, assegurando contar com o apoio das federações de Inglaterra, Espanha e Itália, bem como das ligas de futebol destes três países.

Entretanto, o organismo que rege o futebol europeu anunciou o alargamento da Liga dos Campeões de 32 para 36 clubes, a partir de 2024/25, numa liga única, com cinco jogos em casa e outros tantos fora.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Superliga: Governo desfavorável a prova que defende “parte em vez do bem comum”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião