15 perguntas e respostas sobre a nova emissão de obrigações do FC Porto

Operação de emissão de títulos a três anos arranca esta segunda-feira, segundo possível a subscrição de, pelo menos, 1.500 euros em dívida do Porto até 21 de maio.

A SAD do FC Porto está no mercado para se financiar junto de investidores de retalho e institucionais. A oferta pública de obrigações arranca esta segunda-feira e prolonga-se pelas próximas duas semanas. No total, o clube espera emitir 35 milhões de euros em dívida a três anos e alicia com uma taxa de juro de 4,75%.

O clube presidido por Pinto da Costa vai emitir um total de sete milhões de obrigações, tendo cada uma um valor de cinco euros. Caso cumpram as expectativas, os “azuis e brancos” ficarão com mais de 33 milhões de euros (retirando taxas, impostos e outras despesas) para refinanciar dívida mais antiga.

Mas o valor pode ser aumentado já que o FCP admite rever a oferta em alta até 18 de maio caso a procura o justifique. As ordens de subscrição devem ser apresentadas num montante mínimo de investimento de 1.500 euros (correspondente a 300 obrigações) e expressas em múltiplos de cinco euros. A liquidação física e financeira da oferta, efetiva emissão dos títulos e a admissão à negociação na bolsa de Lisboa está prevista para dia 26 de maio.

Isto é tudo o que tem de saber sobre a operação:

1 – Quando é possível subscrever?

O período de subscrição das Obrigações FC Porto SAD 2021-2023 decorrerá entre as 8h30 do dia 10 de maio de 2021 e as 15h00 do dia 21 de maio de 2021, podendo as ordens de subscrição ser recebidas até ao termo deste prazo.

2 – Onde o posso fazer?

Há entidades contratadas pelo emitente “para desenvolver os seus melhores esforços”, com vista à distribuição das obrigações. São os colocadores e incluem-se no grupo o ActivoBank, o Banco Best, o Banco Carregosa, o Banco Montepio, o CaixaBI, a CGD, o Haitong Bank e o Millennium bcp.

A aceitação da oferta deverá manifestar-se durante o período identificado junto dos colocadores ou de qualquer intermediário financeiro legalmente habilitado a receber ordens de subscrição de valores mobiliários escriturais, mediante a transmissão de uma ordem de subscrição.

3 – O que está a ser oferecido?

A oferta é de sete milhões de Obrigações FC Porto SAD 2021-2023, com o valor nominal unitário de cinco euros. No total, o valor global inicial é de até 35 milhões de euros, mas este montante ainda pode ser aumentado, por opção do emitente, através de adenda ao prospeto aprovada pela CMVM e divulgada até 18 de maio.

4 – Qual é o objetivo do FCP com esta emissão?

Retirando taxas, impostos e outras despesas (e caso se cumpram as expectativas do clube), os “azuis e brancos” vão encaixar mais de 33 milhões de euros. O produto líquido da oferta destina-se principalmente ao reembolso do empréstimo obrigacionista que vence a 7 de junho de 2021 (de 35 milhões), mas também ao reembolso do financiamento intercalar resultante da emissão de obrigações de titularização adicionais pela Sagasta Finance e ao financiamento da atividade corrente.

5 – Quem pode comprar?

A presente emissão obrigacionista é dirigida à subscrição pelo público em geral através de uma oferta pública de subscrição. Ou seja, tanto investidores de retalho como institucionais podem ter acesso.

6 – Posso comprar só uma obrigação?

Cada ordem de subscrição deve ser apresentada num montante mínimo de 300 obrigações, correspondentes a um montante de investimento de 1.500 euros. A partir desse valor mínimo, cada ordem de subscrição deverá referir-se a múltiplos de cinco euros, ou seja, uma obrigação.

7 – Quais as condições da oferta?

A taxa de juro das Obrigações FC Porto SAD 2021-2023 é fixa e igual a 4,75% ao ano. O montante a receber é calculado com base em meses de 30 dias, num ano de 360 dias, incidindo sobre o valor nominal dos títulos em dívida a cada momento, a partir da data de emissão até a data de reembolso.

8 – A remuneração é atrativa?

Desde que começou a recorrer ao financiamento nos mercados de capitais, a SAD dos azuis e brancos já fez sete emissões de dívida junto do retalho. Em todas, os juros foram superiores a 4% e fugiram aos níveis da atual emissão. Mas é comparando com outros produtos financeiros para o retalho que as obrigações de empresas parecem mais atrativas já que os juros em mínimos históricos atiraram os retornos ao chão. No entanto, é preciso ter em conta que o risco também é mais elevado.

9 – Como funciona o pagamento do juro e o reembolso?

Os juros são pagos semestralmente pelo emitente, com referência a cada período de contagem de juros. A primeira data de pagamento de Juros ocorrerá a 26 de novembro de 2021 e a última na data de reembolso. Esse último marco acontece a 26 de novembro de 2023 e o juro será entregue com o capital.

10 – Há custos?

A FC Porto SAD não cobra quaisquer despesas aos subscritores, mas pode haver despesas associadas à subscrição, nomeadamente comissões bancárias. “Cada subscritor poderá, em qualquer momento prévio à subscrição, solicitar ao intermediário financeiro ao qual pretenda transmitir a sua ordem de subscrição a simulação dos custos do investimento que pretende efetuar, por forma a obter a taxa interna de rendibilidade do mesmo”, lembra o prospeto da operação.

11 – Quais os principais riscos?

“Previamente a qualquer decisão de investimento, os potenciais investidores deverão ponderar cuidadosamente os fatores de risco”, avisa o clube, no prospeto. Como em todas as emissões de obrigações, a lista de advertências é extensa e abrangem a atividade e ao grupo, mas também a riscos financeiros ou associados à negociação dos títulos em bolsa. Neste caso, são 16 vão desde o impacto da pandemia na atividade, aos capitais próprios negativos, os sucessos desportivos, fair play financeiro ou venda de jogados, mas também direitos televisivos, risco de crédito, refinanciamento ou liquidez. Veja aqui a lista completa.

12 – Até quando se pode cancelar a subscrição?

O limite para alterar ou revogar ordens de subscrição transmitidas no âmbito da oferta é dia 21 de maio de 2021 às 15h00. A partir daí, as ordens de subscrição não poderão ser alteradas e serão irrevogáveis. Às 16h30 desse dia, as ordens serão transmitidas pelos intermediários financeiros à Euronext.

13 – O que acontece se a procura superar a oferta?

Cada investidor pode dar uma ordem de subscrição para o valor que pretende subscrever, desde que não exceda o montante máximo total. Porém, as ordens de subscrição a satisfazer estarão sujeitas aos critérios de rateio aplicáveis caso a procura no âmbito da Oferta exceda as Obrigações FC Porto SAD 2021-2023 disponíveis até ao respetivo valor nominal global.

14 – Quais os critérios de rateio?

Caso a procura supere o montante máximo disponível, o rateio irá começar com a atribuição de 5.000 euros em obrigações a cada ordem. Segue-se a atribuição do restante montante solicitado em cada ordem de subscrição de acordo com a respetiva data em que tiver dado entrada no sistema de centralização de ordens da Euronext, sendo dada preferência às ordens de subscrição que primeiro tenham entrado.

Relativamente às ordens de subscrição que entrarem em sistema no dia útil em que for atingido e ultrapassado o montante disponível, será atribuído um montante de obrigações adicional proporcional ao montante solicitado na respetiva ordem em lotes de 5 euros. Por último, enquanto ainda houver ordens por satisfazer que já não cumpram os critérios definidos, serão sorteadas as ordens de subscrição a satisfazer.

15 – Quando é conhecido o resultado da operação?

Os resultados da Oferta bem como o eventual rateio serão processados e apurados pela Euronext numa sessão especial de apuramento de resultados da Oferta, a 24 de maio de 2021, e tornados públicos na mesma data. Dois dias depois está prevista a liquidação física e financeira da oferta, a emissão das Obrigações FC Porto SAD 2021-2023 e a admissão à negociação na Euronext Lisbon.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

15 perguntas e respostas sobre a nova emissão de obrigações do FC Porto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião