Teixeira Duarte agrava prejuízos para 19,9 milhões no primeiro semestre

No primeiro semestre, o volume de negócios atingiu 258,5 milhões de euros, o que traduz uma diminuição de 18,7%. Prejuízos agravaram-se para 19,9 milhões de euros.

A Teixeira Duarte fechou os primeiros seis meses do ano com um prejuízo de 19,9 milhões de euros, face ao resultado líquido negativo de 5,4 milhões no período homólogo, de acordo com o comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Por sua vez, o resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) registou uma diminuição de 42% face a junho de 2020 tendo-se fixado em 25,59 milhões de euros.

Os rendimentos operacionais atingiram 310,5 milhões de euros, correspondendo a um decréscimo de 13,9% face ao período homólogo. O grupo justifica esta quebra devido à “retração da economia afetada pela continuada situação de pandemia Covid-19, bem como da desvalorização do Kwanza Angolano e do Real Brasileiro”.

Em relação à faturação, o volume de negócios atingiu 258,5 milhões de euros, o que reflete uma diminuição de 18,7% face a junho de 2020, ou seja, menos 59,6 milhões de euros. Os mercados externos contribuíram com 65,4% do valor total.

Segundo o comunicado enviado à CMVM, a carteira de encomendas da Teixeira Duarte no setor de construção fechou os primeiros seis meses nos 1.390 milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Teixeira Duarte agrava prejuízos para 19,9 milhões no primeiro semestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião