Certificado deixa de ser obrigatório na restauração a partir de 1 de outubro

  • ECO
  • 23 Setembro 2021

A medida deverá ser aprovada esta quinta-feira pelo Conselho de Ministros, que tem ainda por decidir se a apresentação de certificado ou teste negativo continuará a ser obrigatória em hotéis.

A partir de 1 de outubro, vai deixar de ser obrigatório apresentar o certificado digital Covid-19 da União Europeia (UE) ou um teste negativo para aceder ao interior de restaurantes, cafés e pastelarias às sextas-feiras ao jantar e aos fins de semana, revela o Público (acesso condicionado).

A medida deverá entrar em vigor com a nova fase de desconfinamento e espera-se que seja aprovada esta quinta-feira em Conselho de Ministros. Por decidir está ainda se a apresentação da prova de vacinação ou de teste negativo continuará a ser obrigatória para entrar em hotéis.

O documento deverá continuar a ser obrigatório para quem entra no país através de fronteiras terrestres ou aérea e para aceder ao interior de bares e discotecas, que irão abrir também em 1 de outubro. O uso de máscara manter-se-á obrigatório em espaços fechados, mas os limites de lotação deixam de existir nos estabelecimentos de restauração quer no interior, quer nas esplanadas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Certificado deixa de ser obrigatório na restauração a partir de 1 de outubro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião