Sete em dez contribuintes escapam a englobamento obrigatório

  • ECO
  • 29 Setembro 2021

Englobamento de rendimentos com juros, dividendos, mais-valias ou prediais, a avançar, irá abranger menos de um terço das declarações de IRS.

O englobamento obrigatório é uma bandeira que surge sempre que os eleitores são chamados às urnas. A proposta surge no sentido de eliminar taxas e subir os impostos sobre a propriedade e o capital. O objetivo é taxar tudo em sede de IRS, mas a medida tem um impacto limitado, aumenta a carga fiscal e põe em causa outras medidas já no terreno, avisa a consultora Deloitte.

Neste momento, as mais-valias, os juros, a propriedade e os dividendos são taxados a 28%. Os contribuintes podem sempre optar pelo englobamento dos rendimentos, e tudo o que ganharam é taxado em sede de IRS. Se deixar de ser opcional e passar a ser obrigatório, como defende o PCP, a medida iria abranger menos de um terço das declarações, explica o fiscalista Ricardo Reis à Rádio Renascença (acesso livre).

“Apenas 30% das declarações é que têm um rendimento superior a este escalão de rendimentos, que é de cerca de 20 mil euros. É uma minoria, são 30%, aqueles que têm uma taxa marginal do IRS, nas taxas progressivas, superior aos 28%”, diz, salientando que mesmo entre estes são poucos os que têm rendimentos com juros, dividendos, mais-valias ou prediais.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Sete em dez contribuintes escapam a englobamento obrigatório

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião