Rangel investe 2,1 milhões na expansão em África do Sul e entrada na Zâmbia

  • Lusa
  • 25 Novembro 2021

"A aposta na África do Sul revelou-se ser muito positiva, superando as nossas expectativas iniciais em menos de dois anos", referiu Nuno Rangel, presidente executivo da Rangel Logistics Solution.

A Rangel Logistics Solutions, um parceiro logístico global com presença na África do Sul desde 2020, anunciou esta quinta-feira que vai investir 2,1 milhões de euros na região, para expandir as operações sul-africanas e abrir um escritório na Zâmbia.

Num comunicado divulgado esta quinta-feira, a empresa refere que inaugurou oficialmente as instalações em Joanesburgo em 24 de novembro e que este investimento adicional reforça o compromisso da Rangel com o mercado africano, que inclui a aquisição de frota própria, crescimento da equipa local para criar 100 novos postos de trabalho até 2023, a expansão do armazém em Joanesburgo de 2500 metros quadrados (m2) para 5500 m2, a abertura de novas instalações na Zâmbia e na fronteira da África do Sul com o Namíbia (Nakop) e o Botsuana (Zeerust) em 2022 e várias novas geografias na África do Sul, incluindo Durban e Cidade do Cabo, até 2023.

“A aposta na África do Sul revelou-se ser muito positiva, superando as nossas expectativas iniciais em menos de dois anos”, referiu Nuno Rangel, presidente executivo (CEO) da Rangel Logistics Solutions.

A Rangel entrou no mercado sul africano em 2020, investindo no seu serviço de Clearing Agent (despachante aduaneiro), depois de abrir as instalações de Joanesburgo e abriu escritórios ao longo das principais fronteiras de Moçambique, Zimbabué e Botsuana: Komatipoort, Musina e Globlersburg em 2021, adianta a empresa no comunicado.

“Apesar da recente presença na África do Sul, temos assistido a uma grande procura (orgânica) por parte dos nossos clientes por serviços em África. Decidimos agora entrar num novo país, a Zâmbia, onde somos o primeiro operador logístico português no mercado. Isto reforçará o serviço ‘inland’ da Rangel no continente, uma vez que cria pontos de ligação com os portos marítimos da África do Sul, a principal ‘gateaway’ da região, e consegue oferecer transporte ‘cross-border’ com entregas diárias para todos os países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC)”, acrescenta Nuno Rangel.

A Rangel já tem um vasto portfólio de clientes em transportes terrestres e atividades aduaneiras em África, sendo acreditada como ‘clearing agent’, garantindo ligações com a África Austral e África Oriental.

Recorde-se que a Rangel reforçou a estratégia de internacionalização da empresa em 2020, com a entrada em África do Sul e México, num movimento que se traduz no seu primeiro passo para a internacionalização além das fronteiras dos PALOP (Países de Língua Oficial Portuguesa), consolidando a sua estratégia de tornar-se um ‘player’ logístico global, adianta a empresa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Rangel investe 2,1 milhões na expansão em África do Sul e entrada na Zâmbia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião