Nas notícias lá fora: Ucrânia, presidenciais em Itália e Espanha

  • ECO
  • 24 Janeiro 2022

Os EUA ordenaram os familiares do pessoal da sua embaixada em Kiev a sair da Ucrânia, enquanto o Parlamento italiano dá hoje início à votação para eleger o próximo Chefe de Estado.

Face à ameaça de uma “ação militar significativa” pela Rússia, os EUA ordenaram os familiares de funcionários da sua embaixada em Kiev a sair da Ucrânia. Esta segunda-feira, tem início o processo de votação no Parlamento italiano para eleger o Presidente da República para os próximos sete anos. Um estudo israelita demonstrou que os maiores de 60 anos com quatro doses da vacina contra a Covid-19 eram mais resistentes a doença grave do que as pessoas da mesma faixa etária com apenas três doses. Conheça estas e outras notícias que marcam a atualidade internacional desta segunda-feira.

Financial Times

EUA ordenam familiares do pessoal da embaixada a deixar Ucrânia

No domingo, o Governo dos Estados Unidos ordenou os familiares dos funcionários da sua embaixada na Ucrânia a deixar aquele país por considerarem existir a ameaça de uma “ação militar significativa” contra Kiev pela Rússia. Segundo o Departamento de Estado dos EUA, os cidadãos norte-americanos deveriam considerar partir de imediato porque “as condições de segurança, particularmente ao longo das fronteiras da Ucrânia, na Crimeia ocupada pela Rússia, e na Ucrânia Oriental controlada pela Rússia, são imprevisíveis e podem deteriorar-se a qualquer momento”. Os funcionários não essenciais têm a opção de deixar a Ucrânia, se assim o desejarem.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Corriere della Sera

Parlamento italiano inicia processo de eleição de novo Presidente da República

O Parlamento italiano inicia esta segunda-feira o processo de votação para eleger o Presidente da República para os próximos sete anos, numa sessão conjunta com 639 deputados, 321 senadores e 58 delegados regionais. Embora não haja candidaturas formais ao cargo, os partidos tendem a negociar para tentar encontrar um candidato comum, o que aconteceu também desta vez, para encontrar o substituto do atual Presidente, Sergio Mattarella. Existe já uma aliança para encontrar um candidato comum entre três formações – o Movimento 5 Estrelas (M5S), o Partido Democrata (PD) e o progressista Artigo Um – que, em qualquer caso, contará com mais forças políticas, como o partido de Matteo Renzi, Itália Viva.

Leia a notícia completa no Corriere della Sera (acesso livre, conteúdo em italiano)

Cinco Días

CEO da Ryanair sugere cedência de 10% dos slots em Madrid e Barcelona em caso de fusão da IAG e Air Europa

O CEO da Ryanair disse que, em caso de fusão das companhias aéreas IAG e Air Europa — atualmente paralisada –, estas terão de ceder 10% das faixas horárias (‘slots’) nos aeroportos de Madrid e Barcelona, “não necessariamente à Ryanair, mas a novos concorrentes para que haja uma distribuição justa”. Em entrevista ao Cinco Días, Michael O’Leary voltou a criticar “as armadilhas” do plano de reestruturação da TAP, que prevê a cedência de 18 faixas horárias por dia, mas apenas para o período entre as duas e as seis da manhã.

Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Espanha vai receber mais quatro mil milhões em fundos europeus

O abrandamento da retoma económica em Espanha vai garantir que o país receberá mais quatro mil milhões de euros em fundos europeus. Caso se venham a confirmar as previsões da Comissão Europeia de novembro do ano passado, que apontavam para um crescimento do PIB espanhol de 4,6% em 2021, o país vai acabar por receber mais subvenções diretas face aos 69.500 milhões de euros que inicialmente estavam previstos. A Comissão Europeia vai ter de recalcular a atribuição de 30% dos apoios para que, de acordo com as regras, “garanta uma contribuição financeira proporcional às reais necessidades dos Estados-membros”.

Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Reuters

Quarta dose da vacina contra a Covid-19 aumenta resistência a doença grave para maiores de 60 anos

Uma quarta dose de vacina contra a Covid-19 administrada a pessoas com mais de 60 anos em Israel tornou-as três vezes mais resistentes a doença grave face às pessoas vacinadas com apenas três doses na mesma faixa etária, disse o Ministério da Saúde de Israel no domingo. Além disso, a quarta dose (ou segundo reforço da vacina) tornou as pessoas com mais de 60 anos duas vezes mais resistentes à infeção por Covid-19 do que as do mesmo grupo etário que receberam apenas três doses da vacina.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: Ucrânia, presidenciais em Itália e Espanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião