Portuguesa Rovensa compra mexicana e cria líder na agricultura sustentável

Aquisição da Cosmocel pela antiga Sapec permite quase duplicar a faturação do grupo com sede em Lisboa. Empresa mexicana abre a porta a mercados na América do Norte e Latina.

A Rovensa anunciou esta quinta-feira a aquisição da mexicana Cosmocel, reclamando a liderança mundial nos bionutrientes e soluções biológicas para a agricultura sustentável. A operação, cujo valor não foi divulgado, permite aumentar em 80% as receitas do grupo, para 650 milhões de euros.

Com sede em Monterrey, no México, a Cosmocel fabrica bioestimulantes especializados e produtos de alta tecnologia para a agricultura e trabalha com mais de 50 países na América do Norte, América Latina, Europa, Médio Oriente e África do Sul. Emprega mais de 700 trabalhadores e tem três centros fabris.

Segundo a Rovensa, a aquisição abre “as portas a novas geografias”, facilitando o acesso a mercados estratégicos do continente americano. Traz também capacidade acrescida de produção no México, “além de competências adicionais em matéria de I&D e importantes sinergias entre produtos. Esta integração estratégica posiciona a Rovensa como líder mundial em BioSoluções para a agricultura sustentável“, reclama a empresa em comunicado

A conclusão do processo de integração está sujeita à aprovação das autoridades da concorrência. Uma vez concluído, o novo grupo terá receitas anuais de 650 milhões de euros, mais 80% do que os 360 milhões apontados em 2020. “Esta integração estratégica vem reafirmar as nossas ambições de crescimento no mercado internacional de BioSoluções e o nosso forte compromisso para com a agricultura sustentável”, afirma Eric van Innis, CEO da antiga Sapec.

A Rovensa já emprega mais de 2.000 colaboradores, distribuídos por 30 geografias, e vende para mais 80 países, Dispõe também de 30 centros e laboratórios experimentais de I&D distribuídos por todo o mundo. Foi assessorada nesta operação pela JP Morgan, Uría Menéndez, Dunham Trimmer, PwC, Marsh e ERM.

A empresa, com sede em Lisboa, tem origem no negócio agroalimentar da Sapec, fundada em 1926 para a exploração das minas de pirite no Alentejo, evoluindo depois para fabricante de fertilizantes a partir das cinzas do mineral. Cresceu nos produtos agrícolas, internacionalizou-se para 70 países e em 2016 chamou a atenção da Bridgepoint, que a adquiriu. O posicionamento da empresa para o fornecimento de produtos para uma agricultura mais equilibrada e sustentável foi reforçado. Em 2020, o grupo de capital de risco suíço Partners Group adquiriu a participação da britânica Bridgepoint por cerca de mil milhões.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portuguesa Rovensa compra mexicana e cria líder na agricultura sustentável

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião