A falta de escala das empresaspremium

Em Portugal, as empresas de maior dimensão representam pouco mais de 30% do valor acrescentado total, ao passo que na UE o seu contributo é superior a 40%.

A economia portuguesa é caracterizada pela sua atomização empresarial, sendo que o peso das microempresas na empregabilidade do país encontra-se bem acima da média europeia. Em Portugal, as microempresas representam cerca de 40% da empregabilidade total, ou seja, dez pontos percentuais a mais do que em média sucede na União Europeia (UE). E ao mesmo tempo, observa-se que também o contributo das empresas de maior dimensão para o valor acrescentado da economia portuguesa está bastante abaixo da UE. Em Portugal, as empresas de maior dimensão representam pouco mais de 30% do valor acrescentado total, ao passo que na UE o seu contributo é superior a 40%. Será isto um problema? E se sim, como resolvê-lo? Na minha opinião a falta de escala é mesmo um problema, independentemente de hoje se

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos