A inflação é sempre…premium

Mais do que a contestação dos cidadãos ao aumento dos preços e dos juros, o principal entrave à política monetária pode ter origem nos Tesouros nacionais.

Impulsionados pelos preços da energia e dos produtos alimentares o custo de vida tem crescido desde fevereiro a taxas inéditas neste século. Os números são conhecidos e as medidas dos chamados Pacotes Anti-Inflação (PAI) aprovados pelos vários países também. Episódios deste tipo são aquilo a que os economistas chamam “choques de oferta”. Obviamente que os preços aumentam e, com eles, a taxa de inflação medida. Contudo, algo paradoxalmente, não inauguram, por si só, uma época inflacionista, no sentido de um prolongado crescimento sustentado do custo de vida. No célebre dictumde Milton Friedman, “ a inflação é sempre e em toda a parte um fenómeno monetário”. Quer isto dizer que, independentemente do que os iniciou, os aumentos de preços só se sustentarão se os Banco Centrais o permitirem.

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos