Portugal é atrativo para empresas de ativos virtuais?premium

Esta é uma onda tecnológica que não poderemos deixar de apanhar ou estaremos a lamentar, daqui a uns anos, aquilo que deveria ter sido feito e não foi.

Muito se tem falado sobre a imigração de investidores individuais em ativos virtuais para Portugal nos últimos tempos, trazendo consigo muitas empresas dessa área tecnológica para terras lusas. Por arrasto, essas empresas acabam por estabelecer um escritório local ou mesmo por aqui localizar a sua sede. Não é alheio a essa deslocação e fixação de empresas o facto de as regras serem das mais amigáveis para os investidores individuais, para além de outros fatores e condições que serão abordados mais à frente. Em relação aos investidores individuais já muito foi dito e escrito sobre as razões que os trazem para o nosso país. De facto, somos um país acolhedor, com boa qualidade de vida, uma relação preço/qualidade muito boa no que toca ao fornecimento de bens e serviços, com uma excelente

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos
  • Colunista convidado. Chief Product Officer na Luso Digital Assets e Vice-Presidente da Associação Portuguesa de Blockchain e Criptomoedas