Temos ECO!

O ECO tem sabido encontrar o seu público e tem seguido uma orientação de isenção e independência que foi, desde o início do projecto, uma exigência dos seus promotores e accionistas.

“É só nos primeiros anos de juventude que o acaso parece identificar-se com o destino. Mais tarde, ficamos a saber que foi a partir de dentro que o rumo da nossa vida foi determinado; por mais intrincado e absurdo que possa parecer o caminho que nos desvia dos nossos desejos, ele acaba sempre por nos conduzir ao nosso destino invisível”.

Stefan Zweig – O mundo de ontem – recordações de um europeu.

Esta afirmação do pensador, filósofo, escritor e jornalista Stefan Zweig, pode bem servir de introdução às palavras que hoje, dia 10 de Outubro, gostaria de aqui deixar na presente edição do ECO.

Na verdade, todo e qualquer projecto é sempre fruto da ideia, da vontade e da capacidade de um ou mais homens e a sua corporização e o rumo que o próprio projecto acaba por ter é tomado a partir de dentro, de dentro de cada um dos seus promotores, e, raramente, o acaso se identifica com o destino.

Numa conjuntura em que a imprensa tradicional está crescentemente a decair e em que a imprensa digital ainda está no seu começo, iniciar um novo projecto, estruturá-lo convenientemente, apresentá-lo publicamente angariando accionistas e, finalmente, lançá-lo é uma tarefa notável.

É evidente que tendo concorrência, mesmo enquanto jornal digital, o ECO tem sabido encontrar o seu público e tem seguido uma orientação de isenção e independência que foi, desde o início do projecto, uma exigência dos seus promotores e accionistas.

Vários temas importantes do nosso meio económico já foram divulgados, em primeira mão, pelo ECO. E várias iniciativas, desde o princípio, foram levadas a cabo no intuito de fazer o jornal sair da redacção e conquistar maior número de leitores.

Sendo certo que um ano de existência é pouco, este período serviu para demonstrar que o projecto é possível, tem capacidade de crescimento e de melhoria e que os accionistas têm tido toda a atenção e prestado todo o apoio necessário, assim garantindo o êxito do ECO de forma sustentada.

Uma palavra para os jornalistas, essenciais num projecto destes e que tem incorporado os valores que presidem ao ECO, noticiando de forma escorreita, imparcial e isenta. Igualmente, os vários colaboradores que exprimem a sua opinião têm tido muita qualidade nos seus comentários e auxiliado de forma importante a angariação de mais leitores e mais visitas diárias.

Que assim prossiga, alargando o número de interessados diários naquilo que publica, aumentando os apoios e patrocínios, realizando mais eventos com inovação e qualidade e provando, desta forma, que é possível manter um jornal económico digital independente e com qualidade e rigor.

Podemos, pois, afirmar que temos ECO!

Nota: Por opção própria, o autor não escreve segundo o novo acordo ortográfico

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Temos ECO!

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião