Um tiro pela culatrapremium

A semana evidenciou os estragos que uma política orçamental irrefletida podem provocar e serve de aviso para outros Governos. A Semanada é uma análise integrada na newsletter do ECO.

Os bancos centrais jogam no controlo da inflação a sua credibilidade, sem a qual a missão para que foram criados fica posta em causa. Os partidos políticos jogam na capacidade de amortecer o impacto da subida de preços nas famílias e empresas a permanência no poder ou a chegada a ele. Durante muito tempo, os interesses de ambos complementaram-se.As taxas de juro historicamente baixas permitiram aos Governos gerir endividamentos excessivos e atuar perante as crises financeira e da dívida soberana ou, mais recentemente, a pandemia. Essa conivência esteve, de resto, por trás do crescimento das pressões inflacionistas em 2021, antes ainda da invasão russa da Ucrânia. A coexistência de políticas monetárias e orçamentais expansionistas insuflou a procura que, quando a covid-19 recedeu, chocou

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos