Finanças Públicas

Santos Silva considerou que se vive hoje “um daqueles períodos absurdos” em que a direita reclama, ao mesmo tempo, menos receita e mais despesa ao Estado, avisando que isso "impossível”.

Portugal fechou o primeiro semestre com um excedente de 894,1 de euros, o que corresponde a uma percentagem de 0,8% do PIB. Para a totalidade do ano, Finanças mantêm previsão de défice de 1,9%.