Impostos

O Estado cobrou de forma coerciva mais 22% do que no primeiro semestre de 2018. Em causa está o valor mais alto de sempre a entrar nos cofres do Estado, nos primeiros seis meses do ano.

Há contribuintes a receberem mensagens de correio eletrónico fraudulentas em que se fazem passar pelo fisco e cujo objetivo é encaminhá-los para páginas maliciosas. A ordem é para não seguir o link.