Dedução da educação vai subir para 1.250 euros

Se tiver três ou mais filhos, o teto global que vai ser possível deduzir é de 1.250 euros. Os gastos com escola ou vestuário podem ir até 35% das despesas gerais familiares.

Já tinha sido anunciado, mas vai ser concretizado. O Correio da Manhã (CM) avança que a versão preliminar da proposta fixa em 35% das despesas gerais e um teto global de 1.250 euros. Este valor aplica-se a quem tiver três ou mais filhos ou ainda com filhos matriculados no Ensino Superior, pelo que será inferior a quem tiver um agregado familiar mais curto.

As famílias vão poder descontar à coleta do IRS as despesas de educação, e também com o vestuário dos filhos, no próximo ano. Atualmente, várias despesas relacionadas com educação e outras atividades não podiam ser deduzidas: os encargos com propinas, creches, jardins-de-infância e formação, escreve o jornal.

Neste momento, as famílias podem deduzir 30% das despesas com educação e formação com um teto global de 800 euros. No entanto, as despesas são limitadas às diretamente relacionadas com o ensino. Isto leva a que muitas famílias não atinjam o valor total previsto.

O mesmo jornal diz que António Costa ainda não estabeleceu o limite para famílias até dois filhos.

Editado por Paulo Moutinho

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dedução da educação vai subir para 1.250 euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião