Guia Michelin: Portugal tem melhor ano de sempre

Apesar de não duplicar o número de estrelas, Portugal regista o melhor ano de sempre no Guia Michelin. Os 'inspetores' galardoaram os restaurantes portugueses como nunca tinham feito.

Já é oficial: Portugal conseguiu mais nove estrelas no Guia Michelin este ano, acumulando agora 26 estrelas. Com a marca de duas estrelas ficam o The Yeatman, do chefe Ricardo Costa, em Vila Nova de Gaia, e Il Gallo D’Oro, de Benoît Sinthon, no Funchal.

Para além de ter conquistado mais estrelas, a boa notícia para Portugal é que nenhum restaurante perdeu a que tinha. Pelo contrário, o L’And, de Miguel Laffan, em Montemor-o-Novo, recupera a estrela Michelin que tinha perdido em 2016.

Ainda não existe nenhum restaurante com três estrelas em Portugal, mas o país pode celebrar o melhor ano de sempre. Ao todo, feitas as contas, vão ser 21 estabelecimentos portugueses com estrelas Michelin: cinco restaurantes com duas e 16 com uma.

José Avillez, que já tem duas estrelas Michelin, reagiu ao anúncio:

Há sete restaurantes a ficar com uma estrela:

  • William, de Joachim Koerper/Luís Pestana, no Funchal
  • Casa de Chá da Boa Nova, de Rui Paula, em Leça da Palmeira
  • Antiqvm, de Vítor Matos, no Porto
  • Alma, de Henrique Sá Pessoa, em Lisboa
  • Loco, de Alexandre Silva, em Lisboa
  • Lab, de Sergi Arola/Milton Anes, em Sintra (Penha Longa)
  • L’And, de Miguel Laffan, em Montemor-o-Novo

Eis a lista anterior:

chefs-01-01

O Guia Michelin, uma publicação francesa, distingue restaurantes de referência, em Girona, Espanha.

Editado por Mariana de Araújo Barbosa (mariana.barbosa@eco.pt)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Guia Michelin: Portugal tem melhor ano de sempre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião