Recapitalização da CGD arranca a 4 janeiro

  • ECO
  • 30 Dezembro 2016

O processo de recapitalização do banco público vai arrancar na próxima semana, ainda antes da tomada de posse da nova administração liderada por Paulo Macedo.

A recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD) derrapou para 2017. O processo vai arrancar a 4 de janeiro, sendo que terá início ainda antes da tomada de posse da nova administração. O Banco Central Europeu (BCE) não vai dar aval à equipa liderada por Paulo Macedo antes do dia 10 de janeiro, na melhor das hipóteses.

Quarta-feira será dado o pontapé de saída para a primeira fase da capitalização da CGD, de acordo com o Expresso. Nesta primeira fase será feita a conversão os CoCos em capital (avaliados em 960 milhões de euros), mas também a entrada da Parcaixa para o balanço do banco público, o que permitirá um encaixe de 500 milhões. No total, são 1.460 milhões de euros de novo capital.

Este passo acontecerá numa altura em que a CGD estará sem liderança. António Domingues cessa funções a 31 de dezembro, sendo substituído por Paulo Macedo. No entanto, os nomes da nova equipa de gestão do banco público, enviados para o BCE a 19 de dezembro, precisam de aval da entidade liderada por Mario Draghi. E esse processo terá derrapado, não devendo, segundo o JdN, acontecer antes de dia 10.

A recapitalização da CGD, que terá a primeira fase na primeira semana do novo ano, ascende a 5,16 mil milhões de euros. Este montante permitirá salvaguardar os rácios de capital do banco público numa altura em que este se prepara para reconhecer imparidades avultadas no âmbito de um processo de “limpeza” do balanço liderado por Domingues.

As imparidades deverão ser reconhecidas ao mesmo tempo que é feito o processo de recapitalização do qual faz parte também a entrada de mil milhões de euros de novo capital a obter com a colocação junto de investidores privados de obrigações com um elevado nível de subordinadação para que contem para os rácios da CGD.

(Notícia atualizada às 12:34 com mais informação)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Recapitalização da CGD arranca a 4 janeiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião