Há 14 mil novos nomes na lista de devedores da Segurança Social

  • Marta Santos Silva
  • 2 Janeiro 2017

A lista de devedores, que passa a ser atualizada mensalmente, inclui agora contribuintes que devem a partir de 7500 euros. Consulte aqui a lista da Segurança Social.

A Segurança Social atualizou pela terceira vez em 2016 a sua lista de devedores, no dia 31 de dezembro, anunciou o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social em comunicado enviado às redações. A lista passa agora a incluir mais 14.447 contribuintes, tendo sido alargada àqueles que devem entre 7500 euros e 25 mil euros.

A lista de devedores da Segurança Social, que tinha estado suspensa desde 2013, começou a voltar a ser atualizada em junho de 2016, a começar pelos contribuintes que deviam a partir de 25 mil euros. Em setembro, foram acrescentados os contribuintes coletivos que devessem entre 10 mil e 50 mil euros, e no passado sábado os contribuintes singulares do escalão inferior.

Agora que a lista inclui todos os devedores que “não têm a sua situação contributiva regularizada”, já após terem sido notificados para o pagamento da dívida, vai começar a ser atualizada mensalmente com nomes de novos devedores.

Assim que regularizem a sua situação contributiva — requerendo e enquadrando o pagamento da dívida em prestações, prestando garantia de pagamento, ou pedindo para serem dispensados — os contribuintes têm o seu nome retirado da lista de devedores.

No total, integram a lista 21.376 nomes, dos quais mais de 15 mil são empresas e 5.708 são pessoas singulares. A lista completa pode ser consultada no site da Segurança Social. No total, a lista de devedores da Segurança Social vale 97,8 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Há 14 mil novos nomes na lista de devedores da Segurança Social

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião