Reparação de viaturas da VW em Portugal concluídas em setembro

  • Lusa
  • 5 Janeiro 2017

A SIVA, empresa importadora em Portugal dos automóveis da fabricante alemã, diz que a “grande ação vai decorrer em 2017”.

A SIVA, empresa importadora em Portugal dos automóveis Volkswagen (VW), Audi e Skoda, estima que até setembro estejam concluídas as intervenções em cerca de 100 mil viaturas, na sequência do caso de manipulação nas emissões de gases poluentes.

Fernando Monteiro, administrador da empresa, precisou que já há soluções técnicas para 99% dos veículos VW, pelo que a “grande ação vai decorrer em 2017”, estimando que até setembro estará o “assunto resolvido” em Portugal. No total estão envolvidos 100 mil veículos das marcas representadas pela SIVA.

Em declarações à Lusa, o diretor-geral da VW em Portugal, José Duarte, precisou que a marca tem envolvidas aproximadamente 50 mil viaturas, das quais serão intervencionadas em 2017 “cerca de 35 mil viaturas”.

O responsável indicou que a intervenção em causa “não tem qualquer custo, é rápida, de 30 minutos”, e visa a correção das emissões relacionadas com as emissões de CO2.

Depois de estarem disponíveis as soluções de atualização de ‘software’, a marca contacta com os clientes para marcar datas da intervenção, havendo ainda a possibilidade de inscrição numa plataforma disponibilizada no site da VW.

A “intervenção não muda absolutamente nada”, recordou José Duarte, explicando ser uma atualização do ‘software’ e que “todos os parâmetros de comportamento do carro e de consumo se mantêm dentro do que são as especificações da marca aprovadas pelo KBA – Autoridade Federal dos Transportes na Alemanha – e depois certificadas pelo IMT (Instituto da Mobilidade e dos Transportes”, disse.

Depois do caso, o foco da VW durante 2016 foi garantir a confiança na marca, estando previsto para este ano o “contacto com o grosso dos clientes” através de uma “reparação rápida, sem grande alteração do dia a dia”.

“A imagem da marca sofreu um bocadinho no início do ano, depois a seguir ao verão melhorou qualquer coisa, está num caminho entre o que era e o que é, se teve algum impacto direto nas vendas, não sei dizer em concreto”, referiu o responsável, admitindo, porém, que possa ter tido.

Em todo o mundo, cerca de 11 milhões de veículos foram afetados pela fraude cometida pelo grupo Volkswagen, dos quais oito milhões na Europa e 125 mil em Portugal.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Reparação de viaturas da VW em Portugal concluídas em setembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião