Nem a EDP Renováveis deu luz à EDP

  • Leonor Rodrigues
  • 25 Janeiro 2017

Nem os ganhos da EDP Renováveis, nem os da Galp Energia,foram suficientes para suportar o índice português. Depois do corte da avaliação da EDP pelo Haitong, a elétrica cedeu. O PSI-20 caiu.

A bolsa portuguesa terminou a sessão em terreno negativo. Os ganhos da EDP Renováveis e da Galp Energia não foram suficientes para manter o PSI-20 acima da linha de água, com a EDP a pesar no desempenho do índice nacional num dia de ganhos nos restantes mercados da Europa.

O PSI-20 fechou a sessão desta quarta-feira a desvalorizar 0,07% para os 4.573,73 pontos. A EDP foi a grande responsável pelas perdas, que recuou 1,1% para os 2,70 euros por ação. As perdas acontecem depois de o Haitong cortar a avaliação da empresa liderada por António Mexia, ainda que mantenha a sua recomendação de comprar e a considere demasiado “barata”. Para este corte o banco de investimento considerou a pressão sobre a EDP Renováveis depois das eleições nos EUA e ainda o aumento da energia nuclear em Espanha.

Esta queda da EDP ofuscou os bons desempenhos da EDP Renováveis e da Galp Energia. A empresa liderada por Manso Neto avançou 2,3% para os 6,10 euros, já a Galp Energia valorizou 0,9% (14 euros por ação), sendo que também a Jerónimo Martins valorizou: 0,2% para os 15,65 euros.

Desta forma, e num novo dia de queda do BCP (0,53%), com os direitos a desvalorizarem 2,5%, para os 0,78 euros, Lisboa contrariou a tendência da Europa. O PSI-20 foi o único índice que não seguiu a tendência de ganhos das principais praças europeias: a bolsa de Madrid valorizou 1,82%, a de Frankfurt 2% e a de Londres 0,32%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nem a EDP Renováveis deu luz à EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião