BCP: Sonangol aumenta posição “nos próximos meses”

A petrolífera angolana foi ao aumento de capital do BCP. Manteve a posição no capital do banco, mas vai aumentar "paulatinamente" a percentagem que tem "ao longo dos próximos meses".

Enquanto a Fosun aumentou a posição no capital do banco liderado por Nuno Amado, a Sonangol não o fez. Foi ao aumento de capital, mas manteve a posição relativa, embora esteja disposta a reforçar. O ECO sabe que Isabel dos Santos vai aumentar a exposição “nos próximos meses”, mas esse reforço será feito de forma faseada.

O BCP anunciou que a operação foi “totalmente subscrita”, sendo que o número total de ações solicitadas pelos investidores acabou por superar em 22% o número de títulos em oferta no âmbito do aumento de capital de 1.330 milhões de euros que vai permitir ao banco reembolsar os CoCos e reforçar os rácios de capital.

Os maiores acionistas deram um forte contributo para este resultado. De um lado, a Fosun que aproveitou a operação para ganhar peso no capital do banco — admitiu chegar a 30% do capital –, do outro a Sonangol, que tinha 14,87%. Tinha, e continua a ter, sabe o ECO. Ou seja, acompanhou a operação a operação na mesma proporção, mas quer mais.

A empresa liderada por Isabel dos Santos quer “aumentar paulatinamente, ao longo dos próximos meses”, a sua posição no banco liderado por Nuno Amado. A Sonangol já tinha pedido ao Banco Central Europeu para aumentar a posição. Recebeu no final do ano passado “luz verde” para passar dos 20%, algo que fará de forma faseada.

(Notícia em atualização)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCP: Sonangol aumenta posição “nos próximos meses”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião