China voltou à carga. Bitcoin atinge máximos

  • Juliana Nogueira Santos
  • 21 Fevereiro 2017

Os investidores descobriram uma maneira de contornar as regras impostas pelo governo. Resultado? A moeda voltou a subir até máximos históricos.

Há cerca de duas semanas, as duas maiores empresas de troca de bitcoin suspenderam os levantamento, sob ordens claras do governo que suspeita de utilização indevida da moeda. Ainda assim, os traders chineses encontraram outra maneira de continuar as trocas, levando a moeda a atingir máximos históricos.

Chama-se LocalBitcoins e é uma plataforma de troca frente-a-frente, ou seja, o investidor publica o anúncio na página e os interessados contactam-no para marcar um encontro pessoal ou por chat para aí decidirem o negócio. No fundo, esta funciona apenas como mediador entre utilizadores, não estando por isso abrangidos pelas restrições estatais.

Assim, e em apenas duas semanas, as trocas efetuadas a partir da plataforma passaram de 1,5 milhões de yuan para 36,2 milhões de yuan, segundo dados da Coin Dance. A LocalBitcoin ganhou terreno na troca monetária, totalizando agora 6% do volume total de trocas no país.

Valores em milhões de yuan. Fonte: CoinDance

Empurrada pelo travão governamental, a bitcoin viu o seu valor a cair para valores abaixo dos 800 dólares. Com a segurança das trocas nesta plataforma, os valores retomaram o movimento ascendente que vinham a registar, atingindo esta quinta-feira máximos históricos de 1.108 dólares.

Valores em dólares. Fonte: Bloomberg

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

China voltou à carga. Bitcoin atinge máximos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião