Marissa Mayer vai sair da liderança da Yahoo com a entrada da Verizon

A CEO que foi "arrumar a casa" da tecnológica vai sair depois da venda à gigante Verizon. Thomas J. McInerney é o escolhido para liderar a empresa.

Marissa Mayer será substituída enquanto presidente executiva da Yahoo YHOO 0,00% , após a aquisição da empresa por parte da gigante das telecomunicações norte-americana Verizon. A atual CEO vai receber um pacote de indemnização de 23 milhões de dólares, segundo uma declaração da própria empresa divulgada esta segunda-feira, avançou o Business Insider. O novo presidente executivo será Thomas J. McInerney , o ex-CEO da IAC, uma empresa de serviços de internet norte-americana.

Além destas mudanças no presidente, o responsável pela área financeira também vai sair. Ken Goldman, o atual CFO, vai ser substituído por Alexi Wellman, que é atualmente o ‘global controller’ da Yahoo. Contudo, até que a venda à Verizon seja concretizada, a atual administração vai continuar a gerir a empresa. As ações da empresa iniciaram a sessão desta segunda-feira, em Wall Street, a valorizar mais de 2%.

Não é claro se Marissa Mayer pode assumir outro cargo dentro da estrutura a empresa. A norte-americana chegou a CEO em 2012, depois de uma passagem pela Google. Enquanto presidente executiva foi responsável por adquirir várias startups, nomeadamente o Tumblr, mas também pela compra de uma participação na Alibaba, a gigante chinesa de comércio eletrónico.

No entanto, os últimos dois anos foram mais tumultuosos: as ações da empresa desvalorizaram depois de várias saídas de executivos, para além de ter enfrentado vários escândalos como uma investigação da polícia dos mercados e a suspeita de que espiava os emails de norte-americanos por pedido da agência de informação do país.

No mês passado confirmou-se que a operadora norte-americana Verizon — que em 2016 ofereceu 4,8 mil milhões de dólares pelos serviços online da Yahoo — estaria perto de alcançar um acordo para reduzir o valor do negócio em cerca de 250 milhões de dólares. Em causa estão os ataques informáticos de que a gigante tecnológica foi alvo e que colocaram em risco os dados pessoais de milhares de milhões de utilizadores.

Ainda assim, nem tudo foram más notícias, dado que ambas as empresas terão acordado em partilhar responsabilidades legais que, por via judicial, lhes sejam incutidas devido aos ataques.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marissa Mayer vai sair da liderança da Yahoo com a entrada da Verizon

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião