CGD: Parlamento aprova audição de Mário Centeno e Paulo Macedo sobre prejuízos

  • Lusa
  • 15 Março 2017

Em causa estão os prejuízos de quase 1,9 mil milhões de euros em 2016, valor apresentado pela nova administração na passada sexta-feira. Paulo Macedo terá de ir ao Parlamento explicar estratégia.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, e o presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Paulo Macedo, vão ser ouvidos no parlamento para prestarem esclarecimentos sobre o “agravamento drástico” dos prejuízos registados pelo banco público.

Na sexta-feira passada, o deputado do PSD Duarte Pacheco disse que a bancada social-democrata iria requerer a presença de Mário Centeno e de Paulo Macedo na comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública “com caráter de urgência”.

Hoje, segundo fonte do grupo parlamentar do PSD, a audição dos dois responsáveis foi aprovada por unanimidade.

Na altura, Duarte Pacheco defendeu que o “agravamento drástico dos resultados” da CGD devia “ser explicado a todos os portugueses”, considerando que “um agravamento dos prejuízos do banco público significa que os contribuintes poderão ser chamados a intervir mais neste banco”.

Na sexta-feira ao final do dia a CGD divulgou que teve um prejuízo histórico de 1.859 milhões de euros em 2016, mais de dez vezes superior aos resultados negativos de 171,5 milhões registados em 2015.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CGD: Parlamento aprova audição de Mário Centeno e Paulo Macedo sobre prejuízos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião