Félix Morgado: “Montepio vai apresentar plano para mudar a marca”

  • Rita Atalaia
  • 29 Março 2017

Apesar da oposição da Associação Mutualista, o banco Montepio vai mesmo avançar com a mudança de nome. Félix Morgado diz que a administração vai propor esse tema em assembleia-geral.

A Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) vai mesmo mudar de nome. A recomendação é do Banco de Portugal, que deu um mês para que o banco apresente uma alternativa. Félix Morgado refere, na apresentação dos resultados do banco para 2016, que o Montepio tem de cumprir a orientação, mas que a alteração da marca cabe à assembleia-geral decidir. O banco terá de respeitar a orientação do regulador do mercado, apesar de a Associação Mutualista, a dona da instituição financeira, se opor a esta mudança.

Presidente da Caixa Económica Montepio Geral, Félix Morgado, na apresentação dos resultados para 2016Paula Nunes/ECO

O presidente do Montepio Geral confirmou na conferência de imprensa dos resultados para 2016 que a mudança da marca, recomendada pelo Banco de Portugal, vai mesmo avançar. Isto apesar de a dona do banco, a Associação Mutualista Montepio Geral já ter dito que se opõe a esta alteração. “Aquilo que existe é uma orientação do Banco de Portugal no sentido de ser preparado um plano para a alteração da marca” e o “conselho de administração vai apresentar esse plano e entregá-lo” ao regulador, afirma José Félix Morgado.

"Aquilo que existe é uma orientação do Banco de Portugal no sentido de ser preparado um plano para a alteração da marca.”

Félix Morgado

Presidente do Montepio Geral

O presidente do Montepio esclarece que “sendo uma orientação tem de ser cumprida, mas a alteração em termos efetivos da marca tem de ser decidida em assembleia-geral”.

O Banco de Portugal quer acelerar o processo de separação entre a Associação Mutualista e o banco Montepio. O banco liderado por Carlos Costa deu apenas um mês para que o Montepio apresente um novo novo. A intenção é afastar o banco de riscos de reputação caso haja problemas em resgates de produtos financeiros de clientes da Mutualista.

As declarações são feitas depois de o Montepio apresentar os resultados referentes ao ano anterior. O banco teve prejuízos, mas conseguiu fechar o ano com um resultado bem menos negativo. Passou de 243,4 milhões de euros negativos para 86,5 milhões, beneficiando da quebra nas dotações para o crédito malparado. O rácio de capital subiu, ficando acima dos 10%.

Relação “correta” com Tomás Correia

Félix Morgado diz que a relação com o presidente da Associação Mutualista é “correta, do ponto de vista profissional e do ponto de vista societário“. É assim que o presidente do Montepio responde aos jornalistas depois de ter sido avançado que Tomás Correia foi constituído arguido num processo que deriva da Operação Marquês.

Entretanto, o presidente da Associação já veio negar as notícias, dizendo que desmente “categoricamente qualquer envolvimento com a referida Operação Marquês, não estando constituído como parte no citado processo”, de acordo com um comunicado enviado às redações.

(Atualizada às 17h53 com declarações de Félix Morgado sobre Tomás Correia)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Félix Morgado: “Montepio vai apresentar plano para mudar a marca”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião