Taxa de desemprego recua para 10,1% em janeiro

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 31 Março 2017

INE revê em baixa valor para o primeiro mês do ano. Em fevereiro, o desemprego deverá ter recuado novamente, para 10%, mas as estimativas ainda são provisórias neste caso.

A taxa de desemprego recuou para 10,1% em janeiro, mantendo-se no valor mais baixo desde março de 2009 (10%), avançam os dados divulgados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Para fevereiro, as estimativas ainda provisórias e sujeitas a correções, dão conta de uma nova redução, para 10%.

No primeiro mês do ano, o desemprego recuou uma décima face a dezembro, situando-se em 10,1%. O valor fica abaixo do projetado inicialmente pelo INE que, há um mês, apontava para 10,2%. Em janeiro, contavam-se 518,3 mil desempregados, menos 0,4% face a dezembro, e cerca de 4,6 milhões de empregados, mais 0,1%.

A taxa de desemprego jovem também recuou, de 26,3% em dezembro, para 25,6% em janeiro, indicam os dados corrigidos de sazonalidade.

O INE também avança uma estimativa provisória para fevereiro: a taxa de desemprego deverá cair novamente para 10%, abrangendo 510,6 mil pessoas. E o número de empregados deverá aumentar em 5,3 mil. O desemprego jovem deverá ter recuado 0,2 pontos percentuais, para 25,4%.

Taxa de desemprego

Fonte: INE

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Taxa de desemprego recua para 10,1% em janeiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião