Elétricos serão mais baratos que carros a gasolina em dez anos

  • Bloomberg
  • 29 Maio 2017

Com a queda dos custos das baterias, comprar os veículos elétricos será mais barato nos EUA e na Europa já em 2025. Isto de acordo com um estudo da Bloomberg New Energy Finance.

Em breve, comprar automóveis movidos a bateria será mais barato do que comprar os modelos convencionais a gasolina. Isto porque os custos da bateria — que representam atualmente cerca de metade dos gastos com os veículos elétricos — vão diminuir quase 80%.

Fabricantes de veículos como Renault e Tesla já elogiam há muito tempo os menores gastos energéticos e com o próprio funcionamento dos carros elétricos, que ajudam a compensar os preços mais elevados destes veículos de emissões zero.

Agora um estudo da Bloomberg New Energy Finance indica que com a queda dos custos da bateria, comprar os veículos elétricos também será mais barato nos EUA e na Europa já em 2025. As baterias representam atualmente cerca de metade do custo dos veículos elétricos e os seus preços diminuirão cerca de 77% entre 2016 e 2030, afirmou a empresa de research com sede em Londres.

"Em termos de pagamento inicial estes carros começarão a ficar mais baratos e as pessoas começarão a adotá-los mais à medida que os preços se aproximarem da paridade.”

Colin McKerracher

Analista da Bloomberg New Energy Finance

“Em termos de pagamento inicial estes carros começarão a ficar mais baratos e as pessoas começarão a adotá-los mais à medida que os preços se aproximarem da paridade [ou seja, igualem os valores de venda dos veículos tradicionais]”, disse Colin McKerracher, analista da empresa. “Depois disso, serão ainda mais atraentes.”

A Renault, que fabrica o carro elétrico Zoe, prevê que os custos totais dos veículos elétricos no início de 2020 serão iguais aos dos veículos convencionais com motores de combustão interna (conhecidos no setor como ICE), segundo Gilles Normand, vice-presidente sénior para veículos elétricos da empresa francesa.

“Temos duas curvas”, disse Normand, numa entrevista concedida no início do mês em Londres. “Uma delas é a da redução de custos da tecnologia dos veículos elétricos, porque há mais avanços na tecnologia e mais volume. Desta forma, o custo dos veículos elétricos vai cair. O custo do ICE [veículos convencionais] vai aumentar como resultado das normas mais rigorosas.”

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Elétricos serão mais baratos que carros a gasolina em dez anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião