Óculos do Snapchat chegam à Europa ?

A dona da rede social Snapchat vai trazer os Spectacles para a Europa. A empresa vai instalar cinco máquinas de vending, em Londres, Paris, Berlim, Barcelona e Veneza, disponibilizado pela primeira vez o produto fora dos Estados Unidos. Os Spectacles são óculos de sol com uma câmara incorporada, capazes de gravar vídeo em primeira pessoa e de o enviar diretamente para a aplicação. Vão custar 150 euros na Europa continental e 130 libras no Reino Unido.

A Snap Inc. não é uma empresa convencional. Nunca foi. Aliás, quando o jovem Evan Spiegel andou a apregoar aos investidores antes da oferta pública inicial de março, um pormenor poderá ter surpreendido muita gente: durante o roadshow, e mesmo nos documentos que a empresa submeteu ao regulador da bolsa, a Snap Inc. definia-se como uma camera companyuma empresa que faz câmaras. A explicação está, é claro, nos Spectacles, e no facto de o Snapchat ser uma app que abre diretamente na câmara dos telemóveis.

O próprio método de venda dos Spectacles é pouco ortodoxo. A empresa instala as máquinas de vending, conhecidas por “snapbots”, em localizações não anunciadas. Para as encontrar, os fãs têm de se manter atentos à conta oficial do produto no Twitter, onde a empresa tira uma fotografia à máquina e os utilizadores dirigem-se até ela se reconhecerem o local.

O produto foi um sucesso de vendas nos Estados Unidos no final do ano passado, havendo relatos de pessoas que ficaram mais de cinco horas na fila para conseguirem uma unidade, e outras que esperaram muito tempo para encontrarem o produto esgotado no final. Isso levou a que muita gente aproveitasse as oportunidades para adquirir mais do que uma unidade, fazendo disparar a procura.

Ainda assim, os Spectacles ainda não foram espetaculares ao ponto de pôr as contas da empresa no verde. A Snap Inc., que entrou na bolsa em março, apresentou contas no mês passado, nomeadamente o facto de ter perdido 2,2 mil milhões de dólares no primeiro trimestre do ano. Embora a empresa não discrimine quantos óculos vendeu, sabe-se que terá gerado perto de 8,3 milhões de dólares em receitas entre janeiro e março, face aos 4,5 milhões entre setembro e dezembro de 2016.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Óculos do Snapchat chegam à Europa ?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião