Pinho sobre suspeita de corrupção: é “um absoluto disparate”

  • ECO
  • 24 Junho 2017

O antigo ministro das Economia, em declarações o semanário Expresso, diz que não foi constituído arguido nas investigações do Ministério Público ao caso dos CMEC.

Foi no início de junho que a EDP, a EDP Renováveis e a REN foram alvo de buscas por parte da Polícia Judiciária. Em causa estavam suspeitas em torno dos Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual, mais conhecidos por CMEC, que levaram António Mexia, Manso Neto e mais cinco gestores a serem constituídos arguidos.

Uma das linhas da investigação, recorda o Expresso (conteúdo pago), é uma alegada associação entre o financiamento da EDP à Universidade de Columbia nos EUA, que criou um curso sobre energias renováveis ministrado por Manuel Pinho, e as condições que a elétrica garantiu em 2007 na revisão dos CMEC e na extensão (sem concurso) das concessões das suas barragens.

Este sábado, o ex-ministro da Economia, — que diz que não recebeu “nenhuma comunicação formal nem fui constituído arguido” — quebrou o silêncio sobre o caso e sobre as suspeitas de alegada corrupção: “Não sei se existe essa suspeita, mas se existir apenas posso dizer que se trata de um absoluto disparate e que tudo deve ser investigado até ao mais pequeno detalhe, se existirem dúvidas”, refere Manuel Pinho.

O ex-ministro foi ainda questionado sobre se a relação que tinha com António Mexia terá condicionado a sua independência face às pretensões da EDP enquanto foi ministro da Economia. Ao que Pinho responde: “De forma alguma, tanto mais que a escolha do doutor António Mexia foi, como se sabe, da inteira responsabilidade dos acionistas privados, que em final de 2005 reclamaram o direito de nomear o CEO da EDP. Para eles, era o doutor António Mexia e mais ninguém.”

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Pinho sobre suspeita de corrupção: é “um absoluto disparate”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião