Trump tem “fake news” penduradas nas paredes. Revista Time pede que as retire

  • Juliana Nogueira Santos
  • 28 Junho 2017

Numa capa da Time pendurada em dois escritórios pode ler-se "TRUMP ATACA EM TODAS AS FRENTES... ATÉ NA TV!" e "THE APPRENTICE É UM SUCESSO TELEVISIVO!". É falsa e a revista pede que seja retirada.

Donald Trump tem sido um acérrimo defensor do rigor jornalístico, lutando diariamente contra aquilo que ele define como “notícias falsas”. Para o presidente dos Estados Unidos, os meios de comunicação convencionais têm espalhado boatos sobre a sua vida e sobre a sua presidência, mas agora a acusação é contra ele.

Esta quinta-feira, o The Washington Post chamou à atenção para uma capa da revista Time que pendurada em pelo menos dois edifícios do presidente dos Estados Unidos. Nesta, pode ver-se uma fotografia de Donald Trump de braços cruzados e cara fechada acompanhado pela manchete “THE APPRENTICE É UM SUCESSO TELEVISIVO!”. O problema? A Time nunca fez esta capa, nem utiliza este tipo de discurso nas suas peças. E muito menos “grita” com as letras em maiúsculas.

Acima do título também se pode ler: “TRUMP ATACA EM TODAS AS FRENTES… ATÉ NA TV!”. Assim, ainda que isto pareça um momento triunfante do então empresário, o jornal chama a atenção para o facto de ser uma montagem e, ainda por cima, malfeita. Como se pode ver no vídeo acima, o rebordo vermelho da capa é mais fino, a revista não utiliza letras maiúsculas nem pontos de exclamação na capa e a verdadeira capa do dia 1 de março de 2001 foi a atriz Kate Winslet.

Contactada pelo Washington Post, a responsável pela comunicação da Time confirmou que “esta não é uma capa verdadeira.” Esta avançou também que a revista pediu ao presidente Trump para retirar estas capas de exposição, visto serem uma violação da imagem e da marca Time. Ninguém da Trump Organization prestou declarações acerca deste assunto.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump tem “fake news” penduradas nas paredes. Revista Time pede que as retire

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião