Famalicão Made In é motor de startups

  • Sónia Santos Pereira
  • 8 Julho 2017

Em dois anos, a incubadora do projeto Famalicão Made In deu o empurrão decisivo a 65 novas ideias de negócio.

Famalicão, o terceiro concelho mais exportador do país, apoiou nos últimos dois anos a criação de 65 startups e tem em estudo a constituição de mais 68 novas empresas. São empresas de setores tão díspares como alimentar, têxtil ou novas tecnologias. A incubadora do projeto Famalicão Made In, que sexta-feira comemorou o seu segundo aniversário, permitiu já a criação de 88 novos postos de trabalho e impulsionou um investimento de 666 mil euros.

A incubadora é apenas uma das vertentes do projeto Famalicão MadeIn, uma iniciativa da autarquia que arrancou em 2014. Como frisou Augusto Lima, coordenador do Famalicão MadeIn, este programa visa também a atração de investimento para o concelho, o apoio à criação de novas empresas e a promoção do tecido empresarial. “Criámos 87 empresas, 65 são novos negócios e 22 são empresas que se vieram instalar no concelho, num investimento global de 113,7 milhões de euros desde outubro de 2014”, adiantou em jeito de balanço. Neste período, foram criados 1128 postos de trabalho.

"Criámos 87 empresas, 65 são novos negócios e 22 são empresas que se vieram instalar no concelho, num investimento global de 113,7 milhões de euros desde outubro de 2014”

Augusto Lima

Coordenador do Famalicão Made In

“Ultrapassámos as nossas melhores expectativas”, frisou Augusto Lima, no evento de comemoração do aniversário da incubadora. E tudo aponta para que nos próximos meses o programa continue a somar sucessos. Há 68 novas ideias de negócio em estudo e há empresas, nomeadamente de capitais franceses, a analisar a sua expansão para o concelho. Aliás, dentro deste programa foram já captadas três empresas de capitais franceses.
Presente no evento, o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, sublinhou que este projeto demonstra que “uma câmara pode ser parceira das suas empresas, pode ajudar as empresas a derrubar barreiras, a ir além das suas fronteiras geográficas, e a criar um clima de cooperação entre os municípios, as empresas e os empreendedores”. Famalicão conseguiu captar o apoio de 35 mentores (empresários da região) para este programa.

Dois empreendedores Made In

Rui e Ricardo Abreu criaram há dois anos a Kortex, uma startup na área da indústria 4.0, com o apoio da incubadora Famalicão Made In. Os dois empreendedores procuraram o Gabinete do Empreendedor do Famalicão Made In, apresentaram a ideia e foram selecionados. A partir daí foi-lhes disponibilizado um espaço devidamente estruturado para trabalhar, a preço simbólico, e acederam à rede do projeto, o que lhes permitiu promover os seus serviços e obter maior visibilidade. Desde a primeira hora que esta startup tem resultados positivos e até já foi contactada por capitais de risco.

Já a Swonkie, constituída em setembro do ano passado com o objetivo de ser uma plataforma de gestão de redes sociais, está a dar os seus primeiros passos no mundo empresarial. Para João Cortinhas, CEO da empresa, o Famalicão Made In é essencialmente um “espaço de oportunidades, de networking”, além que ajudou a consolidar a proposta de negócio da empresa. Como frisou à margem do evento, “ainda há pouco tive um contacto que, ao que tudo indica, dará negócio. Marcamos uma reunião”.

É possível fazer posts para o Insta Stories a partir do Swonkie.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Famalicão Made In é motor de startups

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião