A Great Wall quer a Fiat. Ações da fabricante italiana disparam

  • Juliana Nogueira Santos
  • 21 Agosto 2017

A fabricante automóvel chinesa quer a Jeep, mas não se importa de comprar o grupo todo. A Fiat Chrysler já garantiu que não foi abordada com propostas de compra.

A Fiat Chrysler poderá vir a fazer parte da Grande Muralha chinesa, mas não do monumento. A fabricante automóvel chinesa Great Wall afirmou-se interessada na compra da italiana, seguindo assim uma estratégia de expansão mundial. A “menina dos olhos” da Great Wall será a Jeep, cuja aquisição permitirá cumprir um dos objetivos já anunciados pela empresa: tornar-se o principal fabricante de SUV até 2020.

Em declarações a uma revista da especialidade, a responsável da comunicação da fabricante chinesa afirmou que esta “está interessada na Jeep”. Quando questionada acerca do montante que estariam dispostos a pagar pelo grupo italiano, bem como mais detalhes do negócio, a empresa não prestou mais declarações.

Contactada por diversos meios de comunicação, a Fiat Chrysler emitiu um comunicado garantindo que ainda não foi abordada pela empresa chinesa. Ainda assim, é conhecida a intenção do presidente executivo do grupo, Sergio Marchionne, de arranjar uma empresa parceira para ajudar a liderar o barco depois das suspeitas de manipulação de emissões.

Quem também se mostrou bastante animado com a intenção da chinesa foram os mercados. As ações da fabricante italiana já chegaram a valorizar cerca de 5% nesta sessão para 11,22 euros, valor que representa o mais elevado de sempre da empresa. Os títulos seguem a negociar nos 11,08 euros.

Ações da Chrysler aceleram 5%

Fonte: Bloomberg

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

A Great Wall quer a Fiat. Ações da fabricante italiana disparam

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião