Harvey faz disparar gasolina para máximo de dois anos

  • Rita Atalaia
  • 28 Agosto 2017

O furacão Harvey, já convertido em tempestade tropical, levou ao fecho de várias refinarias no estado do Texas. Uma redução da atividade que provocou o disparo do preço da gasolina nos mercados.

Harvey, a maior tempestade nos EUA desde 2005, fez disparar os preços da gasolina para máximos de dois anos. O furacão, já convertido em tempestade tropical, fez pelo menos cinco mortos e dezenas de feridos na passagem por Houston, no Estado do Texas, inundando cidades e encerrando refinarias com capacidade para produzir 2,26 milhões de barris por dia. Já os preços do petróleo continuaram a negociar sem grandes alterações, com o West Texas Intermediate (WTI) perto dos 48 dólares.

Os combustíveis subiram 6,8% nos mercados, depois de a tempestade ter obrigado ao encerramento de oleodutos, o que limitou a chegada do crude ao Texas e deixou o porto de Nova Iorque sem gasolina. “Os preços da gasolina vão continuar a subir esta semana, uma vez que são esperados mais três dias de chuva em Houston”, afirma Andy Lipow, presidente da consultora Lipow Oil Associates, à Bloomberg.

"Os preços da gasolina vão continuar a subir esta semana, uma vez que são esperados mais três dias de chuva em Houston.”

Andy Lipow, presidente da consultora Lipow Oil Associates

“Com os operadores dos oleodutos a começarem a encerrar, prevejo uma redução da atividade nas refinarias. Um disparo dos preços da gasolina e do diesel vai provocar o aumento dos preços do petróleo“, explica. “Vamos assistir a um aumento dos preços dos combustíveis, mas penso que os preços do petróleo vão continuar mais estáveis”, contraria o economista Mark Pervan.

Por agora as cotações do “ouro negro” não sofreram alterações significativas nos mercados internacionais. O WTI, negociado em Nova Iorque, está a cair 0,5% para 47,63 dólares, ao passo que o Brent, negociado em Londres, desce apenas 0,02% para 52,44 dólares.

O Harvey foi o furacão mais forte a atingir os Estados Unidos desde 2005 e o estado do Texas desde 1961, tendo chegado ao litoral norte-americano na sexta-feira. Segundo o autarca de Houston, Sylvester Turner, as autoridades já receberam mais de dois mil pedidos de ajuda por causa de inundações, de acordo com a Lusa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Harvey faz disparar gasolina para máximo de dois anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião