MyPOS lança sistema de pagamento de táxi em parceria com Antral e Mastercard

  • ECO
  • 1 Setembro 2017

"Estamos a dar um passo determinante na melhoria da satisfação dos utilizadores da plataforma que temos vindo a construir e a aperfeiçoar", diz Florêncio de Almeida, presidente da ANTRAL.

A MyPOS, empresa de fintech, anunciou esta sexta-feira um novo modelo de pagamento nos táxis portugueses com vista a responder às exigências tecnológicas atuais. Trata-se da instalação de um kit da myPOS nos táxis, que permitirá pagamentos mais rápidos e seguros, aliada a uma aplicação móvel já desenvolvida entre a ANTRAL e a Taxi Digital, uma empresa brasileira, que dará mais possibilidades ao cliente na hora de pedir um táxi.

O projeto desenvolvido em parceria com a ANTRAL (Associação Nacional de Transportes Rodoviários em Automóveis Ligeiros), a CNTD (Central Nacional de Táxis Digital) e a Mastercard foi testado esta tarde na sede da associação: o novo serviço complementa a aplicação móvel (disponível para sistemas iOS e Android) e os novos terminais de pagamento. O equipamento custará aos 149 euros, acrescendo o IVA mas as primeiras 250 inscrições no novo sistema serão selecionadas numa campanha de lançamento que inclui a instalação gratuita do novo sistema nos veículos.

Como funciona?

A aplicação permite ao cliente solicitar o serviço de táxi a partir da sua localização no momento, detetada pelo seu smartphone. Após inserir o destino, a app devolve uma estimativa do preço que terá de pagar pelo serviço e as opções de pagamento. O utilizador pode ainda recorrer a um filtro que lhe permite escolher o veículo de táxi que pretende. O trajeto do táxi pode ser acompanhado num mapa em tempo real. A aplicação também disponibiliza dados acerca do táxi e do motorista escolhidos, com quem poderá interagir via chamada ou mensagem de chat.

A nova solução passa pela instalação de um equipamento de POS (point of sale que, em português, se traduz para TPA, terminal de pagamento automático) com “funcionalidades acrescidas”, garante Pedro Pinto, CEO da myPOS. Trata-se de equipamentos que funcionam via wi-fi ou bluetooth e que, para além de pagamentos físicos ou em cartão, também suportam pagamentos digitais por via de serviços como o Apple Pay e o Android Pay. Outras novidades apresentadas pela myPOS passam pelo carregamento de telemóveis nos táxis, sobre o qual o condutor do veículo recebe uma comissão, e a permissão para fazer payment requests (pedidos de pagamento) dentro e fora de fronteiras.

Um setor que não está “cristalizado”

Florêncio de Almeida, o primeiro interveniente na apresentação, começou por desmentir um eventual “atraso” no setor dos táxis. “Quando se diz que o estatuto de táxi está cristalizado e não acompanha a evolução dos tempos, não é verdade”, assegura. O Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, sublinha o papel dos táxis como “fundamentais” no “ecossistema de mobilidade urbana”, marcado por um excesso do transporte individual.

Lembrando os compromissos decorrentes do Acordo de Paris, nomeadamente a redução das emissões atmosféricas em 26% no setor dos transportes, o ministro aponta para a necessidade de encontrarmos “outras formas de nos movermos nas cidades”, sem nunca abdicar da mobilidade. “A mobilidade é o fator-base daquilo a que comummente chamamos de Estado Social. Menos deslocações significa, certamente, menos qualidade de vida”, defende. A solução apresentada consiste em “mais deslocações” mas de forma “ambientalmente sustentável”, criando um sistema onde as várias formas de transporte se juntem e tenham como único concorrente o transporte individual. Matos Fernandes assume ainda a responsabilidade da Administração e do Governo na modernização do setor dos táxis.

Paulo Raposo refere que o táxi é fundamental na criação de “cidades inteligentes”. O diretor da MasterCard afirma que a ANTRAL “entrou tarde nos negócios de pagamento”, mas que “entra com o state of the art, entra com a melhor tecnologia possível”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

MyPOS lança sistema de pagamento de táxi em parceria com Antral e Mastercard

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião