Gasolina volta a subir. Vai pagar mais um cêntimo

  • Rita Atalaia
  • 27 Outubro 2017

O preço da gasolina poderá aumentar na próxima semana. Um agravamento que acompanha a subida do petróleo. Já o gasóleo não deve sofrer alterações, após a subida de um cêntimo.

Se pretende abastecer o depósito do seu automóvel nos próximos dias, não espere pelo início da próxima semana. Isto porque o preço da gasolina deverá subir na segunda-feira. Mas o mesmo não vai acontecer no diesel, o combustível mais utilizado pelos portugueses. Para os carros a gasóleo, os preços devem ficar inalterados.

De acordo com as contas do ECO com base nas cotações da Bloomberg, o litro de gasolina prepara-se para ficar um cêntimo mais caro na próxima semana. Esta subida deve colocar o preço médio da gasolina simples de 95 octanas perto dos 1,46 euros, tendo em conta o preço atual de 1,447 euros, de acordo com os dados da Direção de Energia e Geologia.

Vem aí mais um aumento no preço de venda da gasolina, mas o mesmo não vai acontecer se for abastecer um carro a diesel — os valores de venda nos postos nacionais aumentaram em um cêntimo esta semana. Apesar de nos mercados ter havido um recuo ligeiro, não é suficiente para alterar o preço nas “bombas”.

Estes cálculos têm em conta a evolução das cotações destas mercadorias na última semana, acompanhando a subida de 2% do Brent durante este período. Este desempenho dos preços do petróleo é influenciado pelos dados do Departamento de Energia dos EUA. Apesar de terem revelado um aumento inesperado das reservas de energia, os stocks de gasolina e outros combustíveis caíram fortemente.

Neste cenário, a cotação da tonelada métrica da gasolina valorizou 2,6% para um preço médio semanal de 487,42 euros por tonelada métrica, o que vai ditar um novo aumento dos valores de venda para os condutores nacionais. A tonelada métrica do gasóleo, por seu lado, recuou 0,25% para um preço médio de 452,56 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Gasolina volta a subir. Vai pagar mais um cêntimo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião