Imposto do sal em risco. PCP pode votar ao lado de PSD e CDS

  • ECO
  • 16 Novembro 2017

O novo imposto para os alimentos com elevado teor de sal pode vir a ser chumbado. O líder parlamentar do PCP admite votar contra. CDS e PSD já anunciaram que chumbam a medida também.

João Oliveira afirmou esta quinta-feira que o Governo não ficará surpreendido com o voto contra do PCP relativamente ao novo imposto do sal. O líder parlamentar do PCP, em entrevista ao Observador, não excluiu a hipótese de apresentar uma proposta de alteração, mas garantiu que votará contra. Anteriormente, PSD e CDS também tinham demonstrado a sua discordância. A confirmar-se o chumbo, são menos 30 milhões de euros de receitas para o Orçamento do Estado para 2018.

No início desta semana o CDS anunciou que ia propor a eliminação do imposto sobre alimentos com elevado teor de sal. Na opinião dos centristas a medida terá um impacto negativo na economia. A ideia também já tinha sido defendida pela deputada do CDS, Cecília Meireles, em entrevista ao ECO.

Já esta terça-feira, Maria Luís Albuquerque revelou que os social-democratas são contra a medida. A ex-ministra das Finanças criticou a “proliferação” de impostos indiretos para a “captação de receita adicional, ainda que sejam vendidos com argumentos mais bondosos de desincentivos do consumo”.

Em outubro, o ECO já tinha avançado que o PCP estava contra este novo imposto. No entanto, na altura, o deputado comunista, Paulo Sá, não se comprometeu com o voto contra. Esta quinta-feira os comunistas assumiram o voto contra. “O Governo já a conhece há muito tempo [a discordância do PCP], desde antes da apresentação da proposta“, afirmou João Oliveira, em entrevista ao Observador, referindo que a via fiscal não é “o instrumento decisivo” para limitar este tipo de consumo.

“Aquilo que vamos propor, pode ser também uma proposta de alteração com uma outra solução, também podemos só votar contra”, esclareceu ainda o líder parlamentar do PCP.

Em causa está um novo imposto — de 0,8 cêntimos por cada quilograma de produto — para os alimentos cujo teor de sal seja igual ou superior a um grama por cada 100 de produto. Abrange bolachas, biscoitos, flocos de cereais, cereais prensados, batatas fritas ou desidratadas, e deverá garantir uma receita de 30 milhões de euros, no próximo ano.

(Notícia atualizada às 14h15)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Imposto do sal em risco. PCP pode votar ao lado de PSD e CDS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião