Ana Gomes e Luaty Beirão no Twitter sobre João Lourenço

  • Rita Frade
  • 23 Novembro 2017

A eurodeputada do PS Ana Gomes e o ativista angolano Luaty Beirão trocaram, esta quinta-feira, algumas palavras no Twitter sobre o Presidente angolano, João Lourenço.

A eurodeputada do PS Ana Gomes partilhou esta manhã, na sua conta de Twitter, a entrevista feita pelo Diário de Notícias a Luaty Beirão.

Luaty Beirão diz, em entrevista ao jornal, a propósito da exoneração de Isabel dos Santos do cargo de presidente do conselho de administração da Sonangol, que se por um lado, como ativista que é, apoia o facto de o Presidente de Angola ter passado por cima de uma lei (que o impedia de mexer nas chefias militares por oito anos), por outro não deveria passar “por cima do que estava escrito”.

É neste contexto que o ativista angolano diz que João Lourenço se está a comportar “como aqueles que até então eram vistos como terroristas, que desobedecem e incumprem leis que consideram injustas“.

Na publicação, Ana Gomes diz que o ativista angolano tem razão quando diz que o Presidente angolano “João Lourenço está a comportar-se como aqueles que eram vistos como terroristas”:

Em resposta a Ana Gomes, Luaty Beirão diz esperar “que não seja uma limpeza de balneário para troca dos beneficiários“, mas sim “um investimento na mudança de paradigma”:

Na mesma entrevista ao Diário de Notícias, o ativista diz que ainda é cedo para tirar conclusões, mas que já há sinais de mudança, dando o exemplo da imprensa (que “começa a ser um pouco mais aberta, mais plural”) e do livro que lançou que, segundo o próprio, “seria muito difícil há uns meses”.

Luaty Beirão acaba, por isso, por aproveitar o post de Ana Gomes para deixar também uma mensagem no Twitter, onde diz estar a torcer para que haja uma “intenção séria de mudança de paradigma“:

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ana Gomes e Luaty Beirão no Twitter sobre João Lourenço

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião