Bitcoin? É “um ativo altamente especulativo”, diz Janet Yellen

A presidente da Fed desvaloriza a euforia em torno das criptomoedas. Janet Yellen diz que têm um papel reduzido no sistema de pagamentos, sendo um ativo "altamente especulativo".

Há um clima de euforia em torno das criptomoedas, especialmente a bitcoin que tem registado fortes valorizações. Subidas expressivas que atiraram o valor de cada bitcoin para mais de 17 mil dólares, movimento que criticado por Janet Yellen. A presidente da Fed diz que se trata de “um ativo altamente especulativo”.

“A bitcoin, neste momento, tem um papel muito reduzido no sistema de pagamentos. Não é uma reserva de valor. É um ativo altamente especulativo“, disse a presidente da Fed na conferência de imprensa em que anunciou uma subida da taxa diretora dos EUA em 25 pontos base para o intervalo de 1,25% a 1,5%.

“A Fed não tem qualquer papel regulador sobre a bitcoin além de o de garantir que as entidades financeiras por si supervisionadas estão a gerir de forma apropriada quaisquer relações entre os investidores e esse mercado”, bem como o de fazer cumprir as regras de combate ao branqueamento de capitais, esclareceu.

A bitcoin, a mais conhecida de todas as criptomoedas, tem brilhado nos mercados. Em apenas uma semana, mais do que duplicou de valor, passando dos 17 mil dólares no momento em que começaram a ser transacionados na CBOE contratos de futuros sobre a divisa virtual. Uma escalada que tem atraído mais investidores, mas também feito aumentar os alertas por parte de banqueiros, mas também de banqueiros centrais.

Questionada sobre se a subida expressiva da bitcoin pode, de alguma forma, ser associada a uma bolha, e se haverá também uma bolha nos mercados acionistas norte-americanos — que têm atingido recordes consecutivos — Janet Yellen afastou quaisquer comparações.

“Claro que o mercado acionista dos EUA registou uma forte valorização, este ano. Temos, nos últimos meses, caracterizado a avaliação da generalidade dos ativos como elevada”, disse. No entanto, Yellen não vê nas ações a euforia a que se assiste com a bitcoin.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bitcoin? É “um ativo altamente especulativo”, diz Janet Yellen

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião