Vendas da dona da Zara abrandam, mas Natal irá trazer ânimo

  • Juliana Nogueira Santos
  • 13 Dezembro 2017

Inditex registou o crescimento mais fraco dos últimos 15 trimestres. Ainda assim, o Natal poderá trazer prendas no sapatinho de Amancio Ortega.

As vendas da Inditex, empresa que contém no seu portefólio marcas como Zara, Pull & Bear ou Massimo Dutti, avançaram ao ritmo mais lento dos últimos três anos e meio. A espanhola apresentou esta quarta-feira os resultados relativos ao terceiro trimestre do ano, que revelam um abrandamento nas vendas, mas deixou claro que o Natal já veio animar os números.

No relatório trimestral, comunicado aos mercados, pode ler-se que as vendas aumentaram 6% de julho a setembro para 7,4 mil milhões de euros, o crescimento mais fraco dos últimos 15 trimestres. Ainda assim, os lucros deste terceiro trimestre cresceram 2,7% para 975 milhões de euros.

Já na primeira metade do ano, a rentabilidade da empresa tinha diminuído para mínimos de oito anos, devido a remodelações em várias lojas do grupo e à subida do euro, que encolheu as margens. Este fator é muito vulnerável, visto que 55% das receitas das marcas da Inditex são geradas em países que não utilizam o euro, sendo que os resultados são sempre apresentados na moeda única.

A empresa acredita que, no próximo trimestre, as coisas possam mudar. “As vendas em loja e online nas moedas locais aumentaram 13% de 1 de novembro a 11 de dezembro de 2017”, pode ler-se ainda no relatório. “A época de outono-inverno é significativamente influenciada tanto pela performance no período de natal como depois do Natal, devido ao volume de vendas”.

No IBEX-35, as ações da empresa de Amancio Ortega iniciaram a sessão desta quarta-feira a valorizar mais de 4%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vendas da dona da Zara abrandam, mas Natal irá trazer ânimo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião